Brasileiros vão filmar com roteirista de "Crash - No Limite"

"Pedaço de Papel", curta-metragem premiado em festivais, será inspiração para longa com produção de Bobby Moresco

Agência Estado |

Um curta-metragem contando a trajetória de uma cédula de dinheiro, da sua fabricação à passagem dela pelos mais diversificados bolsos e bolsas, rendeu aos primos mineiros Cesar Raphael, de 25 anos, e Thiago Bento, de 24, respectivamente, diretor e produtor de "Pedaço de Papel", a abertura de uma fresta na porta do concorrido mercado cinematográfico de Hollywood. A produção ganhou o prêmio de melhor filme da categoria no Los Angeles Brazilian Film Festival 2011, no final de abril - nono troféu conquistado por "Pedaço de Papel" entre os festivais nacionais e internacionais que participou desde 2009 -, e será inspiração para o primeiro longa-metragem de Cesar, que será produzido nos Estados Unidos, com o apoio do roteirista Bobby Moresco, ganhador do Oscar por "Crash - No Limite".

"Pedaço de Papel", em cerca de 17 minutos, lança ao espectador a pergunta "O que você faria por um pedaço de papel?". Sem diálogos, apenas com a trilha sonora conduzindo a ação, a trama envolve seis personagens principais e como eles se relacionam com o tal pedaço de papel. O filme de 2009 foi o segundo curta-metragem dirigido por Cesar, ambos produzidos pela Lumiart, produtora na qual é sócio com o primo, sediada em Belo Horizonte.

Divulgação
O diretor Cesar Raphael na filmagem do curta "Pedaço de Papel"
A vontade de transformá-lo em um longa-metragem veio com a repercussão do trabalho nos festivais que participou. "Mas não é interessante artisticamente para mim pegar a mesma ideia que já fiz e fazê-la de novo", observa o diretor. Utilizando a mesma estrutura do curta e aprofundando seus personagens, o mote agora será "até onde você iria pelos seus sonhos, em que momento se torna corrompido por eles e o que o dinheiro tem a ver com isso", explica Cesar.

Para contar essa história, os personagens serão: um jovem brasileiro que cruza a fronteira dos Estados Unidos; um garotinho rico que vive em Los Angeles, mas não tem o amor dos pais; uma garota de 20 e poucos anos que tem o sonho de se tornar uma estrela em Hollywood e acaba sendo dançarina numa boate; um pastor evangélico milionário envolvido em dilemas morais; um senhor doente, que não pode sair de casa; e um policial "meio morto por dentro". "Uma das surpresas do filme é como eles estão interconectados, então não posso revelar muito", diz Cesar.

O nome do filme não deve ser o mesmo do curta-metragem inspirador, mas ainda não foi definido. Falada em inglês, a produção terá 80% das cenas previstas para serem rodadas em Los Angeles e 20%, no Rio de Janeiro. O elenco deve ser majoritariamente americano, mas ao menos dois personagens ficarão com atores brasileiros.

O produtor Thiago está em negociação com atores brasileiros para o papel do pastor. Já o papel do jovem brasileiro poderá ficar com o próprio diretor. "O Cesar diretor pode aprovar ou reprovar o Cesar ator, espero que eu dê conta do recado", diz ele, que também atuou nos seus curtas-metragens.

Hollywoodiano

Apostando na viabilidade de produzir o filme nos Estados Unidos, no ano passado, os primos passaram por uma imersão pelo mercado cinematográfico hollywoodiano. Entraram em contato com diversos produtores, roteiristas e agentes e ficaram impressionados com a receptividade para conversar sobre o projeto. Como o curta tinha semelhança com o filme "Crash - No Limite", com a trama de múltiplos personagens interagindo entre si, a dupla resolveu procurar o diretor Paul Haggis - que na época já estava envolvido com cinco projetos simultaneamente -, sem sucesso.

A alternativa foi contactar o corroteirista da oscarizada produção, Bobby Moresco. Após um processo de triagem de duas semanas, com conversas quase que diárias com a agente dele, que é uma de suas filhas, conseguiram apresentar o plano de negócios do projeto e o curta-metragem para o roteirista. A intenção da dupla mineira era ter a participação de Moresco na elaboração do roteiro do filme, em conjunto com Cesar.

Ele acabou por indicar sua filha, Amanda Moresco, que entrou no projeto. Pai e filha estiveram presentes no Los Angeles Brazilian Film Festival para anunciar a produção do longa. Segundo Thiago, Moresco se ofereceu para participar como produtor-executivo, o que ainda está em negociação. Cesar conta que o roteiro, já com a colaboração de Amanda, já está todo estruturado, e no momento eles estão detalhando cada cena. A previsão é que a pré-produção comece em novembro e as filmagens tenham início em fevereiro.

O lançamento do filme, orçado em U$ 5 milhões, deve ficar para o segundo semestre de 2012. Thiago destaca que o filme está sendo produzido de maneira independente, sem ajuda de leis de incentivo. "Cinema é investimento de risco, quem faz cinema é maluco", brinca o produtor.

    Leia tudo sobre: cesar raphaelbobby morescopedaço de papelcinema

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG