Atrizes espanholas dão brilho a comédia francesa

"As Mulheres do Sexto Andar" aborda período em que era comum moças da Espanha trabalharem como empregadas na França

Reuters |

O administrador Jean-Louis Joubert (Fabrice Luchini, de "Potiche - Esposa Troféu") é um desses pacatos homens cercados de hábitos. Casado com Suzanne (Sandrine Kiberlain, de "O Pequeno Nicolau"), com quem pouco fala, e com dois filhos vivendo em um colégio interno, sua vida se restringe ao trabalho e a pequenos incidentes domésticos, como a insubordinação da empregada bretã, que acaba se demitindo.

Divulgação
Cena de 'As Mulheres do Sexto Andar'

Como sua mulher tem horror a cuidar da casa, a solução encontrada por Jean-Louis é contratar uma moça espanhola para o trabalho, Maria (Natalia Verbeke). No início da década de 1960, era comum que franceses empregassem espanholas, que chegavam em peso ao país fugindo da ditadura franquista .

Nesse contexto, há dois conflitos que o diretor e roteirista Philippe Le Guay (de "Juliette - Um Amor Alucinante") aborda em "As Mulheres do Sexto Andar", que estreia no Brasil.

O primeiro e mais evidente é o social, ao mostrar as condições precárias em que Maria e suas colegas vivem no tal sexto andar do edifício onde trabalham. Aqui, destacam-se os discursos da socialista Carmen (Lola Dueñas, de "Volver") e as situações cômicas que envolvem essas mulheres.

Em outro ponto, existe o encantamento crescente de Jean-Louis por Maria. O ator Fabrice Luchini exibe uma interpretação contida que reverbera na timidez de seu personagem frente à beleza da espanhola. Mesmo em uma explosão, a de ciúmes provocada por um garçom mulherengo, ele é cauteloso para aproximar-se de Maria.

Embora esses sejam os eixos dramáticos principais, Le Guay também explora em seu roteiro a colisão desses mundos. É a partir do envolvimento cada vez maior de Jean-Louis com as espanholas de seu edifício que o diretor brinca com o deslumbramento de seu herói pela vivacidade de outra cultura, que tanto falta em sua vida e em seus impulsos.

Com participação especial de Carmen Maura, no papel de Concepción, "As Mulheres do Sexto Andar" é um filme correto de Philippe Le Guay, mas esquemático na forma e conteúdo. Coube a Luchini, com a ajuda de parte do elenco de apoio, salvar o filme, mas trata-se de um problema de origem.

Em vídeo: Carmen Maura e as musas de Pedro Almodóvar

null

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG