Atriz ¿imigrante¿ fala sobre o polêmico filme Olhos Azuis

Longa narra os bastidores da autorização de vistos para imigrantes ¿suspeitos¿

Valmir Moratelli, enviado a Nova York |

Divulgação
Cristina Lago, uma das revelações desse Festival em NY
Cristina Lago, que no longa vive uma prostituta de Recife, Pernambuco, está em Nova York para divulgar o trabalho. Ela, que é de Rondônia, está nos Estados Unidos pela primeira vez. E, enquanto arrumava as malas para embarcar, seguiu conselhos de quem já passou pela tensão de ser interrogava na imigração. “Me falaram que não era para ir muito bem vestida, nem muito pobrezinha, tinha que arrumar um meio termo”, disse ela.

A experiência para viver a personagem, ela conta, veio de papo com amigos. “Conheço muita gente que tentou atravessar a fronteira americana de diversas maneiras, até a nado. Alguns conseguiram, outros não. Na minha cidade mesmo, vários amigos meus tinham essa ambição”, afirmou.

Aos 28 anos, é o segundo trabalho de Cristina no cinema. O primeiro foi “Maré – Nossa história de Amor”, de 2009. Em fevereiro, ela esteve em Berlim para apresentar o filme ao público alemão. “Fizemos conexão em Madri. E lá, sim, tive um pouco de apreensão, não sei explicar. Acho que foi pela forma como fizeram as perguntas com meu passaporte na mão”, contou a atriz.

“Olhos Azuis” já está há duas semanas em cartaz nos cinemas no Brasil.

    Leia tudo sobre: cris lagofestivalcinemanova york

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG