As garotas de programa representadas pelo cinema

De Catherine Deneuve a Julia Roberts, várias atrizes se destacaram ao interpretar prostitutas

iG São Paulo |

Divulgação
A atriz Deborah Secco em cena de "Bruna Surfistinha": filme recoloca o tema da prostituição nos cinemas
Com a estreia de "Bruna Surfistinha", adaptação do livro "O Doce Veneno do Escorpião", em que a ex-garota de programa Raquel Pacheco Pinto narra como se tornou um fenômeno da internet descrevendo suas experiências com os homens que atendia - e conferindo a cada um uma nota -, Deborah Secco passa a integrar a lista de atrizes que já interpretaram prostitutas em filmes.

No cinema, o papel de garota de programa costuma render elogios e até prêmios às suas intérpretes: a carreira de Julia Roberts, por exemplo, atingiu o ápice após "Uma Linda Mulher", enquanto Kim Basinger ganhou o Oscar por sua atuação em "Los Angeles - Cidade Proibida".

Abaixo, conheça dez prostitutas emblemáticas da história do cinema.

Giulietta Masina - "Noites de Cabíria" (1957)

Dirigido pelo italiano Federico Fellini, "Noites de Cabíria" conta a história de Maria "Cabíria" Ceccarelli, uma garota de programa que passa as noites nas ruas de Roma à procura de um verdadeiro amor - jornada que lhe traz decepções.

Depois de diversas tentativas de encontrar o par certo, a jovem encontra aquele que deve ser o homem dos seus sonhos - e que apesar de corresponder ao seu amor, conduz a prostituta a um dos desfechos mais tristes do cinema.

Divulgação
Papel de prostituta em "A Bela da Tarde" marcou a carreira da atriz francesa Catherine Deneuve
Catherine Deneuve - "A Bela da Tarde" (1967)

A atriz francesa Catherine Deneuve estrelou "A Bela da Tarde", longa francês baseado no romance homônimo de Joseph Kessel, que descreve o cotidiano de Séverine Serizy, uma dona-de-casa que aproveita as tardes em que o marido está trabalhando para prostituir-se em um bordel de luxo.

Apesar do tema espinhoso, "A Bela da Tarde" foi o grande vencedor do Leão de Ouro no Festival de Veneza de 1967, além de marcar para sempre a carreira de Catherine Deneuve.

Darlene Glória - "Toda Nudez Será Castigada" (1973)

Baseado na peça de teatro homônima de Nelson Rodrigues, a versão cinematográfica de "Toda Nudez Será Castigada" foi dirigida por Arnaldo Jabor e estrelada por Darlene Glória, que interpretou a icônica Geni, prostituta que desperta a paixão do rico viúvo Herculano (papel de Paulo Porto).

Apesar de a censura brasileira do período classificar o filme como imoral, seu lançamento sem cortes foi estimulado pelo Urso de Prata do Festival de Berlim. Assim como acontece com a maioria das personagens de Nelson Rodrigues, Geni é utilizada como foco de crítica da classe média brasileira - caminhando para um fim trágico.

Divulgação
Jodie Foster (centro) tinha apenas 12 anos quando interpretou uma garota de programa em "Taxi Driver"
Jodie Foster - "Taxi Driver" (1976)

Apesar de estar com apenas 12 anos, Jodie Foster não se intimidou ao interpretar a jovem prostituta Iris "Easy" Steensma no drama "Traxi Driver". Ela teve que se submeter a avaliações psicológicas para assegurar que o trabalho não a afetaria emocionalmente.

No longa, um dos mais elogiados de Martin Scorcese, o taxista Travis Bickle (Robert DeNiro) torna-se obcecado pela ideia de "salvar" a garota de programa - ação que acaba envolvendo-a em um dos tiroteios mais marcantes da história do cinema.

Marília Pêra - "Pixote, a Lei do Mais Fraco" (1981)

Apesar de não ser a estrela de "Pixote, a Lei do Mais Fraco", a prostituta Sueli, interpretada por Marília Pêra, protagonizou uma das cenas antológicas do filme: o momento em que amamenta o delinquente juvenil Pixote, papel do jovem Fernando Ramos da Silva.

Na trama, o menino e seus amigos juntam-se a Sueli, que acabou de ser abandonada por um cafetão, para roubar os clientes durante os programas - esquema que logo fracassa e reduz o grupo a Pixote e à garota de programa.

Divulgação
Richard Gere e Julia Roberts em "Uma Linda Mulher": filme fez da atriz a "queridinha da América"
Julia Roberts - "Uma Linda Mulher" (1990)

"Uma Linda Mulher" está mais para conto de fadas do que drama, pois mostra como a prostituta Vivian Ward, interpretada por Julia Roberts, conhece acidentalmente um milionário (Richard Gere) que se apaixona por ela e a tira das ruas.

O filme alavancou a carreira de Roberts, rendendo uma indicação ao Oscar de melhor atriz e a vitória no Globo de Ouro pela mesma categoria - além de conseguir tornar a história de uma prostituta em um filme família. Com o custo de US$ 14 milhões, "Uma Linda Mulher" arrecadou mundialmente US$ 460 milhões, tornando-se a terceira maior bilheteria daquele ano.

Mira Sorvino - "Poderosa Afrodite" (1995)

Escrito, dirigido e estrelado por Woody Allen, "Poderosa Afrodite" conta a história de um escritor que resolve procurar a mãe biológica de seu filho adotivo - e acaba surpreendido ao descobrir que ela é uma prostituta nas ruas de Nova York.

Se fosse retratada de maneira crua, o papel da garota de programa Linda Ash dificilmente teria rendido a Mira Sorvino o Globo de Ouro e o Oscar de atriz coadjuvante. Porém, a opção de Allen em retratá-la de forma bem-humorada, como a "loira burra" desiludida com a carreira de atriz pornô, facilitou a aceitação da personagem pelo público.

Reprodução
A prostituta interpretada por Elizabeth Shue passa por maus momentos em "Despedida em Las Vegas"
Elizabeth Shue - "Despedida em Las Vegas" (1995)

Dentro da leva hollywoodiana de prostitutas, provavelmente nenhuma sofreu mais do que Sera, personagem de Elizabeth Shue no drama "Despedida em Las Vegas". Depois de iniciar um estranho relacionamento com o alcoólatra Ben Sanderson (papel de Nicolas Cage), a garota de programa é apanhada por três homens que a espancam e estupram.

A preparação de Shue contou com uma série de entrevistas com prostitutas de Las Vegas. A atriz aprendeu sobre o comportamento nas ruas e os perigos que essas mulheres correm em seu cotidiano. O papel rendeu à atriz boas críticas, além de indicações ao Oscar e ao Globo de Ouro.

Sharon Stone - "Cassino" (1995)

No mesmo ano em que Mira Sorvino e Elizabeth Shue foram indicadas ao Oscar por interpretar prostitutas, a musa Sharon Stone também conseguiu sua indicação pelo drama policial "Cassino" - além de ter ganhado o Globo de Ouro.

Na pele de Ginger McKenna Rothstein, garota de programa que tira a sorte grande ao casar-se com o administrador de cassinos Sam "Ace" Rothstein (Robert DeNiro), Stone passou por maus momentos apanhando de seu cafetão, do marido e até do amante.

Divulgação
Graças ao papel em "Los Angeles - Cidade Proibida", Kim Basinger ganhou o Oscar de melhor atriz coadjuvante
Kim Basinger - "Los Angeles - Cidade Proibida" (1997)

Enquanto a maioria das garotas de programa no cinema caçam clientes nas ruas, Lynn Bracken, personagem de Kim Basinger em "Los Angeles - Cidade Proibida", é praticamente confinada a uma bela casa, onde recebe clientes empolgados por sair com uma sósia da atriz Veronica Lake - um tipo de Jessica Alba da década de 1950.

Isso não a impede de apanhar, de ser ameaçada e utilizada por criminosos num esquema de prostituição que envolve nomes do alto escalão da cidade. Além das avaliações positivas, a atuação deu a atriz o Oscar e o Globo de Ouro de coadjuvante.

    Leia tudo sobre: cinemabruna surfistinha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG