Apesar do erotismo, "Beleza Adormecida" pode causar sono

Falta ritmo e desenvolvimento a filme sobre jovem que é sedada e oferecida a homens ricos

Guss de Lucca, iG São Paulo |

"Beleza Adormecida", drama dirigido pela estreante Julia Leigh e estrelado por Emily Browning, atriz de "Sucker Punch - Mundo Surreal" , é mais um daqueles filmes com premissa interessante e desenvolvimento pífio.

Divulgação
A atriz Emily Browning (de lingerie branca) em cena do drama erótico "Beleza Adormecida"
A história aborda a vida da estudante universitária Lucy (Browning), que divide seu tempo entre o estágio em um escritório, o bico como garçonete e eventuais programas com homens bem sucedidos. A falta de ânimo da protagonista só não é maior que a de dinheiro, o que a faz responder um anúncio voltado a garotas interessadas em realizar fantasias sexuais - em troca de uma boa remuneração.

O que começa como um trabalho eventual, em que Lucy serve velhos abastados apenas de lingerie, cresce quando a cafetina Clara (Rachael Blake) oferece mais dinheiro para que a jovem aceite ser sedada e oferecida aos idosos sem saber o que é feito com ela - exceto que não haverá penetração.

Siga o iG Cultura no Twitter

Sem preocupar-se em dar explicações sobre seus personagens, a diretora perde a oportunidade de retratar a fundo os encontros eróticos e as motivações dos envolvidos, um tema abordado de outras formas em filmes como "De Olhos Bem Fechados" (1998) e “8 Milímetros” (1999).

A parcela do público interessada em ver Emily Browning nua não terá do que reclamar após a sessão. Em "Beleza Adormecida" os trajes diminutos de "Sucker Punch" parecem burcas. Porém, aqueles que anseiam por uma história instigante podem acabar dormindo durante a projeção.

Leia também: "Me sinto confortável em falar sobre nudez", diz Emily Browning

null

    Leia tudo sobre: Beleza AdormecidaEmily Browningcinema

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG