"Anjos da Noite" se apropria de mitos famosos e cai no gosto do público

Iniciada antes da febre adolescente dos vampiros, série ganha quarta parte e continua em alta nos cinemas

iG São Paulo |

Lançado em 2003, o filme de ação "Anjos da Noite" se apoiava na história de Selene (Kate Beckinsale), uma vampira que dedica sua existência ao extermínio dos lobisomens - conhecidos como lycans. Na trama, ela se apaixona pelo humano Michael (Scott Speedman), que acaba transformado em lobisomem e, por isso, a coloca contra as duas facções em guerra.

Divulgação
A atriz britânica Kate Beckinsale como a vampira Selene no primeiro "Anjos da Noite", de 2003
O roteiro escrito por Len Wiseman, que também dirigiu o filme, caiu no gosto do público ao se apropriar de mitos famosos e transportá-los para um mundo com paisagens góticas - além de utilizar um romance proibido no estilo shakespeariano.

Kate Beckinsale: "Eu abominava sequências"

Alheio às críticas negativas, o longa arrecadou US$ 95 milhões (R$ 161 milhões) pelo mundo, superando em mais de quatro vezes o orçamento de US$ 22 milhões (R$ 37 milhões). Além de render a Wiseman carta branca para uma sequência, a produção foi responsável pelo seu casamento com Beckinsale, que ele conheceu no set de filmagem.

Três anos depois, chegava às telas "Anjos da Noite - A Evolução", sequência que mantém os holofotes no dilema de Selene, agora ciente da origem da disputa entre vampiros e lobisomens. Novamente dirigido e roteirizado por Wiseman, o filme apresentava as criaturas híbridas das duas raças, apimentando a disputa entre elas.

Siga o iG Cultura no Twitter

O segundo filme repetiu a façanha do primeiro, superando o custo de US$ 50 milhões (R$ 85 milhões) ao abocanhar US$ 111 milhões (R$ 188 milhões) em bilheterias - e ainda recebendo críticas ruins.

Na cadeira de produtor, Wiseman manteve o padrão e depois de três anos lançou "Anjos da Noite 3 - A Rebelião". Ali, ele dava folga a Beckinsale e retratava o início da disputa entre vampiros e lobisomens, séculos atrás. No lugar da protagonista, foi escalada a vampira Sonja (Rhona Mitra). Como Selene, ela se apaixona por um lobisomem.

Mesmo sem a presença de Beckinsale e distante do clima de "Crepúsculo", filme que no ano anterior cristalizou a febre dos vampiros entre os adolescentes, "A Rebelião" seguiu a boa arrecadação da série, totalizando US$ 91 milhões (R$ 154 milhões) contra um orçamento de US$ 35 milhões (R$ 59 milhões).

Nesta sexta (dia 2), chegou aos cinemas brasileiros "Anjos da Noite - O Despertar", quarta parte da série. Wiseman segue na posição de produtor e roteirista. Beckinsale volta à história. Se até então a franquia abordava a guerra entre as criaturas sobrenaturais, agora os humanos é que são os grandes inimigos de Selene.

Leia também: "Crepúsculo" e livros teens de vampiro dominam 2009

Divulgação
Kate Beckinsale retorna como a vampira Selene em "Anjos da Noite - O Despertar", quarta parte da saga
Depois de passar 12 anos congelada, a vampira escapa e descobre um mundo em que 95% dos vampiros e lobisomens foram exterminados. Para compreender o que aconteceu, a heroína parte em busca de rostos do passado, em especial o de Michael, que havia sido transformado num híbrido.

Leia também: Franquia "Anjos da Noite" dá sinal de fadiga em novo filme

Independentemente do término do filme, os fãs podem respirar sossegados. Contrapondo o orçamento de US$ 70 milhões (R$ 119 milhões), a atual bilheteria de US$ 139 milhões (R$ 236 milhões) deve garantir a quinta parte da saga - que, pelo padrão Wiseman, vai demorar três anos para estrear.

TViG: Assista ao trailer de "Anjos da Noite - O Despertar"

    Leia tudo sobre: anjos da noitevampiroskate backinsalecinema

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG