Anima Mundi chega a São Paulo

Festival exibe até domingo centenas de animações brasileiras e internacionais

iG São Paulo com Agência Estado |

Divulgação
La Dama y La Muerte, curta-metragem vencedor do prêmio de público no Rio de Janeiro
Diante da dificuldade em mostrar suas produções, os animadores Aída Queiroz, Marcos Magalhães, César Coelho e Lea Zagury resolveram tomar uma atitude e realizar uma mostra de animação, batizada de Anima Mundi. Agora, a iniciativa comemora 18 anos e o festival chega à maioridade com números expressivos, que não se parecem nem de longe com a produção minguada das primeiras edições. Em sua trajetória, a maior mostra de animação da América Latina contabiliza quase 6 mil filmes, exibidos para quase 1 milhão de espectadores. A edição paulistana deste ano começa hoje e vai até domingo, no Memorial da América Latina e no Centro Cultural Banco do Brasil.

Para compor a programação, o quarteto de diretores recebeu mais de 1.500 inscrições. Foram selecionados 452 filmes de todas as partes do mundo. Há trabalhos produzidos em países como Austrália, Israel, Polônia, Argentina, Letônia, Coreia do Sul, Rússia, Cingapura e China. O país com maior número de obras é o Brasil, com 108 títulos.

A expectativa do festival é alcançar mais de 105 mil espectadores, sendo 70 mil no Rio, e mais de 35 mil em São Paulo. Uma das mudança desde o início do festival é a quantidade de obras nacionais. "No terceiro Anima Mundi, não tivemos nenhuma produção brasileira. Na quarta, foram sete filmes. Com o tempo, passamos a receber um número enorme de filmes e tivemos de passar a selecionar o que entra e o que fica de fora", explica Aída Queiroz, uma das organizadoras do evento.

Divulgação
Mary & Max, longa já exibido em circuito comercial
Para orientar o espectador, a extensa programação do evento foi dividida em dez mostras. Curtas, Longas e Infantil são as categorias competitivas. A categoria Panorama apresenta trabalhos recentes que não foram selecionados para a competição, mas que foram considerados de boa qualidade de roteiro e técnica. Escolas de Animação faz referência aos melhores institutos do gênero, como a americana CalArts – fundada por Walt Disney –, a francesa Gobelins e a argentina UBA. A seleção exibe trabalhos de destaque feitos nas salas de aula das entidades.

Reunindo a produção da nação que recentemente sediou a Copa do Mundo, a mostra África do Sul faz um panorama do cinema de animação daquele país. Ao todo, são 28 títulos de técnicas e gêneros variados. "A gente não conhece o que é feito por lá, mas existe uma produção de qualidade. Os vídeos selecionados são excelentes", diz Aída.

Em sua edição no Rio de Janeiro, o público do Anima Mundi 2010 premiou como melhor longa-metragem Mary & Max - Uma Amizade Diferente , seguido pelo argentino Boogie, El Aceitoso . Entre os curtas, o vencedor foi o espanhol La Dama y La Muerte , indicado ao Oscar, produzido por Antonio Banderas. Em São Paulo, os espectadores repetem a experiência e também elegem seus preferidos.

Serviço – Anima Mundi em São Paulo
De 28 de julho a 1 de agosto
Memorial da América Latina e Centro Cultural Banco do Brasil
Ingressos: R$ 6 (R$ 3 a meia entrada)
Programação: consulte no site oficial

    Leia tudo sobre: Anima Mundianimação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG