Alice Braga e Anthony Hopkins falam sobre "O Ritual"

Atores do suspense conversam com o iG durante visita ao set de filmagem

Por Mariane Morisawa, de Budapeste |

Divulgação
Anthony Hopkins em cena de "O Ritual": "Tive de aprender latim e italiano. Foi bastante coisa, mas eu gostei"
Os trailers estacionados num terreno no meio do nada, nos arredores de Budapeste, não deixam dúvida: ali está sendo rodado um filme. No caso, "O Ritual", suspense dirigido por Mikael Håfström e estrelado por Anthony Hopkins e Alice Braga .

O longa estreia nesta sexta-feira (11.02) no Brasil, mas a visita do iG ao set aconteceu em julho de 2010, num dia de calor insuportável, com 40º C de temperatura, sol forte e muita umidade. Apesar do tempo abafado, a cena que está sendo filmada é um enterro com neve, numa igreja escondida na mata. E mesmo levando boa parte do dia para ser feita – a sequência envolve Rutger Hauer, que interpreta o pai do protagonista, Michael (Colin O’Donoghue), e muitos figurantes em pesados casacos, além de neve artificial –, ela dura cerca de 15 segundos na tela, provando que é duro fazer cinema.

Até o veterano Anthony Hopkins achou difícil interpretar o Padre Lucas, um exorcista que atua em Roma. “Tive de aprender latim e italiano. Foi bastante coisa, mas eu gostei”, disse. “Acho que é um dos papéis mais desafiadores que já fiz, porque tive de aprender línguas e mudar de uma personalidade para a outra o tempo todo.”

Lucas é procurado pelo cético Padre Michael (Colin O’Donoghue, em seu primeiro papel no cinema), que quase desistiu do sacerdócio quando ainda morava nos Estados Unidos. Como última tentativa de segurá-lo, a Igreja o recomenda para um curso de exorcismo no Vaticano - onde conhece a personagem de Alice Braga, Angeline, uma jornalista que também frequenta a escola para fazer sua reportagem.

Getty Images
Os atores Anthony Hopkins, Alice Braga e Colin O'Donoghue no lançamento de "O Ritual"
O produtor Beau Flynn buscou durante anos uma história sobre o assunto – ele também está por trás de "O Exorcismo de Emily Rose". “Não importa a crença religiosa, as pessoas ficam intrigadas. Pensamos em como fazer de uma maneira fresca, que não fosse 'O Exorcista'. O que ajuda é ser uma história real”, afirma, referindo-se ao livro-reportagem do jornalista Matt Baglio, em que o filme foi baseado.

“Não há cabeças rodando. Acho que você fica com mais medo sabendo que é real. E o protagonista é muito cético”, conta o diretor Mikael Håfström.

Colin O’Donoghue, candidato sério a galã, teve chance de ir a Roma ver alguns exorcismos antes das filmagens. “Você tem ideia de que vai ser como 'O Exorcista'. Não é. É como estar no consultório de um médico. A pessoa entra, senta, o padre abençoa. Algumas vezes, há alguma reação, um grito. Uma mulher quebrou tudo. E aí termina, a pessoa sai, o padre diz: ‘Volte semana que vem’ ou ‘Volte daqui quinze dias’. Foi meio chocante.”

O irlandês de 30 anos mal pôde acreditar quando foi aprovado, depois de enviar um teste em vídeo gravado no quintal da casa do amigo e de fazer uma leitura com Anthony Hopkins. “No dia do encontro com o Tony, fiquei nervoso, mas queria muito conseguir o trabalho. Tive de colocar isso de lado e focar. Ele é um homem inacreditável.”

Foi uma impressão parecida com a que Alice Braga teve do ator. “Ele é um cavalheiro, um ser humano bonito, um homem maravilhoso e um ator fenomenal. Ele cria detalhes, pensamentos, ideias. E quando você fala, ele ouve, fica animado. É muito inspirador, como uma atriz mais jovem, ter a experiência de trabalhar com alguém como ele.”

Assista ao trailer de "O Ritual":

    Leia tudo sobre: alice braga

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG