A era dos nerds no cinema

Como os patinhos feios e desengonçados conquistaram o primeiro escalão de Hollywood

Guss de Lucca, iG São Paulo |

Foi-se o tempo em que os nerds ficavam restritos às plateias ou se escondiam atrás das grandes produções de Hollywood. Na última década eles, que comemoram hoje seu dia de orgulho - 25 de maio é, entre outras coisas, a estreia do primeiro filme da série "Guerra nas Estrelas", em 1977 -, conquistaram espaço em frente às câmeras, estrelando histórias que atestam que o legal no século 21 não é apenas ter um rosto e um corpo bonitos.

Um dos nomes em alta na nova leva de atores de Hollywood é o comediante Zach Galifianakis, um dos personagens centrais da comédia "Se Beber Não Case - Parte 2", que estreia nesta semana no Brasil. Gordinho, barbudo e desengonçado, o ator participou de dezenas de programas de TV antes de estourar em 2009, interpretando o cunhado esquisito no primeiro "Se Beber Não Case".

No filme, além de provocar risos com questões absurdas e expressões impagáveis, o comediante consegue ofuscar o galã Bradley Cooper - outra estrela em ascensão, mas não no time dos nerds. Galifianakis é apenas um dos recém-beneficiados pelo hype dos nerds, que ganhou força em 2005 com o lançamento de "O Virgem de 40 Anos".

A comédia, dirigida por Judd Apatow e estrelada por Steve Carell, retratava um quarentão que colecionava bonecos (ou action-figures, em linguagem nerd), era fanático por games e, no caso, inexperiente com mulheres. O filme, que rendeu US$ 177 milhões (R$ 287 mi), abriu as portas para a trupe de Apatow tomar Hollywood.

Divulgação
Robert Carradine como protagonista de "A Vingança dos Nerds": óculos e cara de bobo compunham visual nerd em 1984
Um de seus braços direitos, o ator e roteirista Seth Rogen, aproveitou a oportunidade para emplacar as comédias "Ligeiramente Grávidos" (2006) e "Superbad - É Hoje" (2007). A segunda acompanha a tentativa de iniciação sexual de três amigos nerds - entre eles os jovens atores Michael Cera e Christopher Mintz-Plasse, que viriam a se tornar dois bastiões dos nerds em Hollywood por causa do porte físico desprivilegiado.

Enquanto Mintz-Plasse ganhou prestígio por interpretar McLovin em "Superbad", papel que o levou a outros filmes do tipo, como "Faça o Que Eu Digo, Não Faça o Que Eu Faço" (2008) e "Kick-Ass - Quebrando Tudo" (2010), Cera estrelou no mesmo 2007 o longa que trouxe as garotas geeks aos holofotes: "Juno".

Misto de drama e comédia, "Juno" revelou a atriz Ellen Page, que interpreta uma adolescente cuja primeira experiência sexual resulta em uma gravidez inesperada. Page, que já havia participado da adaptação de quadrinhos "X-Men: O Confronto Final", era admirada pelo público nerd como uma sex symbol - sem as curvas ou a lascividade das musas de Hollywood.

O sucesso dos nerds nos cinemas ganhou repercussão na TV com a estreia, em 2007, do seriado "The Big Bang Theory" - atualmente em sua quarta temporada. Retratando o dia-a-dia de quatro amigos, a série conseguiu atingir a marca de 14 milhões de expectadores nos Estados Unidos, comprovando o fascínio do público por tipos que há duas décadas eram satirizados pela sociedade.

Aparentemente o hype nerd veio para ficar. Mas há quem aposte na volta dos valentões. A Warner, responsável pela veiculação de "The Big Bang Theory", anunciou que está preparando uma versão às avessas de "A Vingança dos Nerds" , clássico de 1984 em que um grupo de nerds luta para acabar com os abusos sofridos por uma fraternidade de tipos atléticos - e não muito inteligentes. Será que ainda cola?

    Leia tudo sobre: nerds

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG