"Ao longo da vida, Tim Maia parece 3 pessoas diferentes", diz diretor de filme

Por Luísa Pécora , iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Cinebiografia sobre o cantor estreia nesta quinta-feira e é baseada em livro de Nelson Motta

Unir duas atuações em um mesmo personagem foi um dos desafios de “Tim Maia”, cinebiografia que estreia nesta quinta-feira (30) e na qual Robson Nunes e Babu Santana se revezam no papel de um dos mais populares cantores brasileiros.

“Você olha as fotos do Tim Maia ao longo da vida e ele parece três pessoas diferentes. Por isso pensei em atores diferentes”, contou o diretor e roteirista Mauro Lima, em entrevista coletiva realizada nesta segunda-feira (27) em São Paulo.

Imagem do filme 'Tim Maia'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Tim Maia'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Tim Maia'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Tim Maia'. Foto: Divulgação

Os dois atores começaram a preparação para o filme meses antes do restante do elenco, para que a transição na tela se desse de forma natural: Nunes interpreta o Tim Maia mais jovem, Santana assume a fase adulta e o fim da carreira.

Adaptação do livro “Vale Tudo”, de Nelson Motta, o filme retrata a trajetória do cantor desde a adolescência até a morte, com ênfase na vida fora dos palcos: a personalidade forte, a viagem aos Estados Unidos que lhe serviu como formação musical, as festas e as brigas com namoradas, amigos e parceiros musicais.

Os atores tiveram de soltar a voz, inclusive cantando ao vivo em algumas cenas (o diretor não revela quais ou quantas, “para não entregar a magia do cinema”). “Nunca tinha cantado profissionalmente e tocava mal. Mas depois de muito estudo e dedicação, as cenas foram rolando”, diz Nunes.

Santana, que havia feito musicais com o grupo Nós do Morro, disse que a equipe de maquiagem e figurino facilitou seu trabalho. "Fiquei livre para pensar só na questão interna do personagem, já que a externa estava bem resolvida.”

Uma relação mais forte com a música foi o principal “legado" do filme para os atores (Santana, porém, disse ter ficado também com os 15kg que engordou para o papel).

“Tim Maia transpirava música e a gente mergulhou nesse universo”, disse Nunes, que “fez um som” com o colega de filme recentemente, em um bar de São Paulo. “Além disso, quando você interpreta um cara que fez o que quis na vida, é impossível não pensar na sua e não se permitir viver mais.”

Roberto Carlos

Outro músico que tem presença importante em “Tim Maia” é Roberto Carlos, já que os dois começaram a carreira juntos na banda “Os Sputniks”.

Interpretado por George Sauma, o Rei aparece dando uma certa esnobada em Tim Maia - o que gerou perguntas sobre como ele receberá o filme. Segundo Lima, porém, Roberto recebeu o roteiro e autorizou o uso de sua imagem.

“Nada do que está ali saiu da minha cabeça. Tudo consta da biografia do Nelson Motta e de outras, inclusive a que o Roberto não gostou quando saiu”, afirmou, em referência ao livro de Paulo César de Araújo que foi retirado de circulação por ação do cantor.

Lima afirmou que não se preocupou em “apresentar" a obra de Tim Maia para uma nova geração, mas, sim, em retratar de forma fiel o que aconteceu há 50 anos.

“Tenho mais receio em apresentar o filme à geração mais velha, de as pessoas que viveram a época dizerem que não era nada assim”.

Leia tudo sobre: tim maiacinema

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas