Jovens de comunidades cariocas contracenam com atores de Hollywood em "Trash"

Por Luísa Pécora , enviada especial ao Rio de Janeiro |

compartilhe

Tamanho do texto

Rickson Tevez, Eduardo Luis e Gabriel Weinstein, todos de 15 anos, foram escolhidos entre cerca de 200 adolescentes

Selton Mello, Wagner Moura, Martin Sheen e Rooney Mara são alguns dos atores que estão no elenco de “Trash - A Esperança Vem do lixo”, filme do britânico Stephen Daldry que foi rodado no Brasil e estreia nesta quinta-feira (9). Mas as verdadeiras estrelas do longa são três jovens de comunidades cariocas que nunca tinham atuado antes.

Imagem do filme 'Trash'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Trash'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Trash'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Trash'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Trash'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Trash'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Trash'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Trash'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Trash'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Trash'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Trash'. Foto: Divulgação

Rickson Tevez, Eduardo Luis e Gabriel Weinstein, todos de 15 anos, foram escolhidos entre cerca de 200 adolescentes para os papéis de Raphael, Gardo e Rato. Os três são moradores de um lixão que se envolvem em um complexo escândalo político após encontrarem uma carteira misteriosa.

Mais - Selton Mello sobre filme "Trash": "É um renascimento meu como ator"

Morador da Rocinha, Tevez foi abordado durante uma partida do futebol e, a princípio, achou que seria convidado para jogar em algum time. Quando soube que era cinema, não desistiu. “Achei que era uma oportunidade única e tive que agarrar. Aí eu foquei e consegui”, afirmou, durante entrevista coletiva nesta terça-feira (7) no Rio de Janeiro.

A abordagem foi semelhante com Weinstein, morador da Cidade de Deus, que definiu a experiência como “super legal”. “Todo mundo tratou a gente bem”, disse o garoto, que quer seguir carreira no cinema. “Estou esperando abrir mais oportunidades. Espero muito que elas apareçam.”

Luis, morador de Inhaúma, diz que primeiro vai terminar os estudos (ele cursa o primeiro ano do ensino médio). “Veio esse filme agora, mas vai que não dá certo minha carreira de ator. Vou ficar vivendo de passado? Em relação a dinheiro e trabalho, não preciso disso agora. Tenho que estudar."

Questionado sobre como se sentiu ao assistir ao filme, ele respondeu: “Foi emocionante. A gente estar no cotidiano atuando é uma coisa. Se ver na televisão é totalmente diferente."

* A repórter viajou a convite da Universal Pictures

Leia tudo sobre: trashcinemawagner mouraselton mello

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas