No "pós-Crepúsculo", Robert Pattinson aposta em bons diretores e cinema de arte

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Aos 28 anos e em cartaz com "The Rover - A Caçada", ator tenta se afastar da imagem de galã adolescente; próximos projetos incluem filmes com David Cronenberg e Werner Herzog

Depois de despontar para a fama como o vampiro Edward Cullen da saga "Crepúsculo", Robert Pattinson está disposto a passar para a segunda fase da carreira. Aos 28 anos, ele tenta se afastar da imagem de galã adolescente com filmes como "The Rover - A Caçada", que está em cartaz nos cinemas brasileiros.

Crítica: Robert Pattinson vive sobrevivente de apocalipse em "The Rover - A Caçada"

No papel de um sobrevivente do apocalipse, Pattinson foi chamado de "a maior surpresa do filme" pelo crítico Scott Foundas, da revista "Variety": "É uma atuação que redefine sua carreira, que revela novas camadas de sensibilidade e sentimento", escreveu.

Imagem do filme 'The Rover - A Caçada' (2014). Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Cosmópolis' (2012). Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Bel Ami: O Sedutor' (2012). Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Água para Elefantes' (2011). Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Lembranças' (2010). Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Crepúsculo' (2008). Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Poucas Cinzas: Salvador Dalí' (2008). Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Uma Vida Sem Regras' (2008). Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Harry Potter e o Cálice de Fogo' (2005). Foto: Divulgação

"The Rover" é um dos exemplos de como Pattinson vem tentando se firmar como ator respeitado e dono de papéis maduros. No centro da estratégia para chegar lá está trabalhar com diretores respeitados e, em geral, mais ligados ao cinema de arte do que a Hollywood.

Siga o iG Cultura no Twitter

Tudo começou com David Cronenberg, que deu a Pattinson o papel principal de "Cosmópolis" (2012). A indústria se surpreendeu, já que o galã de "Crepúsculo" não era visto como um típico colaborador do cineasta canadense, famoso por "Crash - Estranhos Prazeres" e "Marcas da Violência".

Como um bilionário que transita por Manhattan a bordo de uma limusine, Pattinson chegou ao Festival de Cannes, um dos principais redutos do cinema de arte. Cronenberg ficou tão satisfeito com o trabalho do ator que o escalou novamente, agora em "Maps to the Stars", que também foi a Cannes e tem estreia prevista para este ano.

Kevin Winter/Getty Images
Robert Pattinson na estreia de 'The Rover' em Los Angeles (12/06/2014)

No mesmo festival, Pattinson mostrou "The Rover", segundo filme de David Michôd, diretor do elogiado "Reino Animal" (2010).

O futuro reserva mais colaborações com bons cineastas. Werner Herzog vai dirigi-lo em "Queen of the Desert"; Anton Corbijn em "Life"; James Gray em "The Lost City of Z"; e James Marsh em "Hold on to Me".

Em entrevista ao "The Hollywood Reporter", Pattinson contou que costuma ligar para os diretores que admira para se apresentar. "Levou muito tempo para que eu percebesse que posso fazer isso", disse o ator. Ele acrescentou que quer se aprimorar na profissão. "Não sei se já encontrei meu caminho com ator. Tenho que provar certas coisas."

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas