Robert Redford processa Nova York por impostos de venda de canal

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Ator e diretor tenta impedir Estado norte-americano de cobrar US$ 1,57 milhão (R$ 3,5 milhões) por venda de sua participação na TV Sundance, realizada em 2005

Reuters

O ator e diretor Robert Redford processou Nova York para tentar impedir o Estado norte-americano de tentar cobrar US$ 1,57 milhão (R$ 3,5 milhões) em impostos pela venda de sua participação no canal de TV Sundance em 2005.

Em uma queixa apresentada em 31 de julho contra o Departamento de Taxação e Finanças do Estado de Nova York em um tribunal de Albany, Redford, de 77 anos, afirmou já ter pago “totalmente” os impostos estaduais na venda em Utah, onde mora.

AP
O ator Robert Redford no Festival de Cannes 2013

O astro de “Golpe de Mestre” e vencedor do Oscar de diretor por “Gente Como a Gente” disse que Nova York está na prática tentando cobrá-lo duas vezes. Ele quer um parecer do tribunal para invalidar a cobrança de impostos e recuperar seus gastos.

De acordo com a queixa, em 2005 Redford era proprietário de uma empresa “S” conhecida como Sundance TV Inc, através da qual ele detinha 85,5% das ações da emissora.

Siga o iG Cultura no Twitter

Redford afirmou que a TV Sundance vendeu naquele ano parte de seus 20% de ações no canal Sundance, levando a um lucro que ele incluiu em sua declaração de imposto de 2005 em Utah.

Segundo ele, mesmo assim Nova York lhe enviou, em maio, uma cobrança de impostos no valor de US$ 845 mil (R$ 1,9 milhão) mais US$ 723 mil (R$ 1,6 milhão) de juros, tratando o lucro da venda como “fonte de renda de Nova York”.

Redford afirma se tratar de um equívoco, e que nem ele nem as entidades do Sundance fizeram nada em Nova York que motivasse a cobrança.

Leia tudo sobre: robert redfordcinematelevisãoimpostos

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas