Apenas 5% dos personagens de 100 filmes do ano passado eram hispânicos, segundo levantamento

Reuters

Os latinos são a minoria mais subrepresentada nos filmes da indústria cinematográfica norte-americana, segundo um estudo divulgado nesta segunda-feira (4), que mostrou que Hollywood não aumentou significativamente a quantidade de personagens pertencentes a esses grupos nas telonas.

Leia também: Público latino cresce, quebra recordes e muda a indústria de cinema dos EUA

Cerca de três quartos dos personagens no cinema no ano passado eram brancos, proporção que estava em linha com os totais anuais nos cinco anos anteriores, de acordo com estudo elaborado pela Escola Annenberg de Comunicação e Jornalismo da University of Southern California.

Mas na sua avaliação de 3.932 personagens de 100 filmes do ano passado, os pesquisadores descobriram que 5% eram hispânicos, em comparação a 17,1% que esse grupo representava na população dos Estados Unidos em 2013, de acordo com dados oficiais.

"Hispânicos e latinos são um dos grupos de mais rápido crescimento nos Estados Unidos", disse em um comunicado um dos autores do estudo, Marc Choueiti.

Siga o iG Cultura no Twitter

"Se os filmes populares fossem a única maneira de medir a diversidade, o público ignoraria isso. Os indivíduos deste grupo são quase invisíveis na tela", acrescentou Choueiti.

Além disso, o estudo concluiu que os homens e mulheres hispanos são o grupo mais sexualizado em Hollywood. Um total de 37,5% dos personagens femininos aparecem parcial ou totalmente nus e 16,5% dos homens se mostram em roupas reveladoras ou apertadas.

Os atores negros tiveram uma melhor representação, segundo o estudo, com 14,1%. No conjunto da sociedade norte-americana, esse grupo representa 13,2%.

Mas apenas 5 dos 107 diretores dos filmes estudados eram negros, dos quais eram todos homens e mais inclinados a dirigir atores negros.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.