Festival de Cannes anuncia hoje a Palma de Ouro; veja favoritos e fracassos

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Irmãos Dardenne podem levar o prêmio máximo pela terceira vez com "Deux Jours, Une Nuit"; já a estreia do ator Ryan Gosling na direção foi um dos pontos baixos do evento francês

Recordes poderão ser quebrados quando o júri do 67º Festival de Cannes anunciar seus prêmios neste sábado (24), após duas semanas de exibições de filmes que foram tanto elogiados quanto massacrados pela crítica.

Favoritos com "Deux Jours, Une Nuit", os belgas Jean-Pierre e Luc Dardenne podem se tornar os únicos três vezes ganhadores da Palma de Ouro. O filme, sobre uma mulher que tenta convencer os colegas de trabalho a recusar um bônus para que ela não seja despedida, colocou a francesa Marion Cottilard no topo das apostas para o prêmio de melhor atriz.

Marion Cottilard é favorita ao prêmio de melhor atriz por 'Deux Jours, Une Nuit', dos irmãos Jean-Pierre e Luc Dardenne. Foto: DivulgaçãoNaomi Kawase pode se tornar a segunda mulher a ganhar a Palma de Ouro com 'Futatsume no Mado' ('Still the Water', em inglês). Foto: Divulgação'Mr. Turner' pode dar a segunda Palma de Ouro a Mike Leigh. Foto: DivulgaçãoSucesso em Cannes, 'Foxcatcher' é tido como provável indicado ao Oscar. Foto: Divulgação'Mommy', de Xavier Dolan, teve boa recepção em Cannes. Foto: Divulgação'Timbuktu', de Abderrahmane Sissako, agradou os críticos em Cannes. Foto: Divulgação'Grace de Mônaco' foi considerado um dos mais fracos filmes de abertura da história do festival. Foto: DivulgaçãoEstreia de Ryan Gosling na direção, 'Lost River' foi vaiado na exibição e massacrado pela crítica. Foto: DivulgaçãoMichel Hazanavicius não repetiu o sucesso de 'O Artistas' em seu segundo filme 'The Search', sobre uma ocidental que ajuda uma criança na guerra da Chechênia . Foto: DivulgaçãoCríticos saíram da sala durante a exibição de 'The Captives', de Atom Egoyam. Foto: Divulgação

Se vier, o troféu será o primeiro de Cottilard na categoria. A atriz chamou a atenção do júri no ano passado com "A Imigrante" e em 2012 com "Ferrugem e Osso".

Se os Dardenne não levarem a Palma de Ouro, outros recordes poderão ser quebrados. Com "Futatsume no Mado" ("Still the Water", no título em inglês), a japonesa Naomi Kawase pode se tornar a segunda mulher a levar a Palma de Ouro - a primeira foi justamente a presidente do júri, Jane Campion, que ganhou em 1993 por "O Piano".

O filme conta a história de um adolescente que encontra um corpo no mar e, ao lado da namorada, tenta entender o que aquilo significa. Num ano em que as mulheres tiveram participação maior - mesmo que ainda minoritária - em Cannes, muitos veem um prêmio para o elogiado trabalho de Kawase como a escolha perfeita.

AP
Luc Dardenne, Fabrizio Rongione, Marion Cottilard e Jean-Pierre Dardenne mostram 'Deux Jours, Une Nuit' em Cannes (20/05)

Já o britânico Mike Leigh pode entrar para a seleta lista de duplos ganhadores da Palma de Ouro se o escolhido for "Mr. Turner", um retrato do pintor inglês William Turner.

Siga o iG Cultura no Twitter

Outros filmes bem recebidos foram "Foxcatcher", de Bennett Miller, no qual Steve Carell chama a atenção no papel de um esquizofrênico. Depois do sucesso em Cannes, o longa é tido como possível candidato ao Oscar.

Divulgação
Críticos detonaram 'Lost River', estreia de Ryan Gosling na direção

"Timbuktu", de Abderrahmane Sissako (Mauritânia), e "Mommy", de Xavier Dolan (Canadá) também impressionaram público e crítica e podem sair com algum prêmio.

Neste ano a entrega de torféus acontecerá no sábado, e não do domingo, como é tradição em Cannes, por causa das eleições europeias de 25 de maio.

Fracassos

Mas nem só de elogios se faz um festival de cinema, e neste ano Cannes começou com um fracasso de crítica: "Grace de Mônaco", no qual Nicole Kidman interpreta Grace Kelly, considerado um dos piores filmes de abertura da história do evento.

O massacre dos críticos só não foi pior do que o dedicado a "Lost River", estreia do ator Ryan Gosling na direção que foi exibida fora de competição. As vaias mostraram que muitos se arrependeram de ter feito fila para ver o filme, no qual uma mãe solteira aceita um trabalho em um teatro obscuro.

"Péssimo", "pobre", "filme de estudante" e "delírio de grandeza" foram algumas das definições usadas pelos jornalistas, que também notaram uma tentativa do ator de imitar outros cineastas, especialmente David Lynch.

Na competição, a recepção foi especialmente ruim para "The Captive", do egípcio Atom Egoyam, e "The Search", novo do francês Michel Hazanavicius, de "O Artista".

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas