"Entre Vales" usa lixo para contar história de perda e reconstrução

Por Luísa Pécora , iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Ângelo Antônio tem atuação sutil e precisa no segundo longa-metragem do diretor Philippe Barcinski

Causa certo estranhamento o começo de "Entre Vales", longa-metragem do diretor Philippe Barcinski que estreia nesta quinta-feira (8): um mesmo rosto - o do ator Ângelo Antônio - parece pertencer a homens de vidas diferentes.

Imagem do filme 'Entre Vales'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme "Entre Vales". Foto: DivulgaçãoImagem do filme "Entre Vales". Foto: DivulgaçãoImagem do filme "Entre Vales". Foto: DivulgaçãoÂngelo Antônio no set de 'Entre Vales'. Foto: DivulgaçãoImagem das filmagens de 'Entre Vales'. Foto: Divulgação

Um deles é Vicente, o amoroso pai de Caio e marido da dentista Marina, com quem passa por um momento de crise. Empresário bem-vestido, seu trabalho é avaliar o potencial econômico de locais que serão usados como aterros sanitários.

O outro é Antônio, um homem de cabelo desgrenhado e roupas sujas que caminha por um destes aterros, coletando materiais recicláveis para ganhar algum dinheiro.

Divulgação
Philippe Barcinski no set de 'Entre Vales'

A narrativa se constrói aos poucos, conforme Barcinski (que fez sua estreia na direção com "Não Por Acaso", de 2007) estabelece a ligação entre Vicente e Antônio, propondo uma reflexão sobre a linha tênue que separa vidas aparentemente muito distantes.

Siga o iG Cultura no Twitter

O lixo já foi tema de bons filmes brasileiros - "Boca de Lixo", de Eduardo Coutinho, "Estamira", de Marcos Prado, e a co-produção "Lixo Extraordinário", de Lucy Walker -, em parte porque oferece imagens e histórias impressionantes.

Em "Entre Vales", Barcinski usa o lixo - dos aterros às cooperativas - como metáfora de uma história de perda e reconstrução. Retrata também, ainda que rapidamente, o impacto causado pelo fim dos lixões, como o de Jardim Gramacho, no Rio de Janeiro, que serviu de locação e foi fechado em junho de 2012.

A trama se desenvolve com certa previsibilidade, mas a força do filme está menos nos diálogos e mais nas imagens: o lixo que se acumula, o trator que passa em meio aos catadores, o sistema industrial da cooperativa.

Barcinski conta com a ajuda da belíssima fotografia de Walter Carvalho e da atuação sutil e precisa de Ângelo Antônio, que guia o espectador de uma história a outra - do olhar do pai carinhoso ao desalento de quem não tem mais nada a perder.

Veja o trailer de "Entre Vales":


compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas