Atores conversaram com o iG sobre o longa de João Jardim que estreou nesta quinta-feira (1º)

O filme " Getúlio ", dirigido por João Jardim, relata os 19 últimos dias de Getúlio Vargas - do atentado sofrido por Carlos Lacerda ao suicídio do presidente, em 24 de agosto de 1954. O longa está em cartaz nos cinemas.

Siga o iG Cultura no Twitter

Alexandre Borges sentiu que era a pessoa certa para viver Carlos Lacerda: "Eu pensava que poderia interpretá-lo, que eu tinha uma semelhança física com ele. Fazer um personagem que já existiu é uma coisa meio kármica".

Crítica: Em tom de thriller, "Getúlio" é bom drama político

Já Drica Moraes, que interpreta a filha de Getúlio, Alzira, conta como fez para construir a forte relação entre pai e filha que vemos no filme.

"Fizemos muitos exercícios, foi um trabalho muito legal, de tirar os sapatos na sala e ficar andando, cantando; eu cantei paro Tony, ele cantou para mim. Buscamos intimidades que não estão no filme, mas que nos ajudaram".

Sobre o legado de Getúlio, a atriz afirma: "Ele foi um governador populista, fez muita coisa para o trabalhador: salário mínimo, férias remuneradas, horário de trabalho, infraestrutura, a Petrobrás, mas também teve o lado duro, ditador, de pôr fim na imprensa. Foi um homem multifacetado".

Veja abaixo a entrevista com Drica Moraes e Alexandre Borges:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.