"O Espetacular Homem-Aranha 2" tem herói amoroso, uniforme novo e muitos vilões

Por Mariane Morisawa , especial para o iG, de Los Angeles |

compartilhe

Tamanho do texto

"Sempre penso nos milhões de fãs, porque eu sou um dos milhões de fãs", disse Andrew Garfield; leia entrevistas

Em 2012, o mundo (re)viu a origem do super-herói aracnídeo em “O Espetacular Homem-Aranha”, dirigido por Marc Webb, com Andrew Garfield no papel principal. Muita gente reclamou que se tratava da mesma coisa contada apenas dez anos antes por Sam Raimi em “Homem-Aranha”, estrelado por Tobey Maguire, mas mesmo assim a produção foi um sucesso, arrecadando US$ 752,2 milhões no mundo inteiro.

Cena de 'O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro'. Foto: DivulgaçãoCena de 'O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro'. Foto: DivulgaçãoCena de 'O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro'. Foto: DivulgaçãoCena de 'O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro'. Foto: DivulgaçãoCena de 'O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro'. Foto: DivulgaçãoCena de 'O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro'. Foto: DivulgaçãoCena de 'O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro'. Foto: DivulgaçãoCena de 'O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro'. Foto: DivulgaçãoCena de 'O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro'. Foto: DivulgaçãoCena de 'O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro'. Foto: DivulgaçãoCena de 'O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro'. Foto: DivulgaçãoCena de 'O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro'. Foto: DivulgaçãoCena de 'O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro'. Foto: DivulgaçãoCena de 'O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro'. Foto: DivulgaçãoCena de 'O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro'. Foto: DivulgaçãoCena de 'O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro'. Foto: DivulgaçãoCena de 'O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro'. Foto: DivulgaçãoCena de 'O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro'. Foto: DivulgaçãoCena de 'O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro'. Foto: DivulgaçãoCena de 'O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro'. Foto: DivulgaçãoCena de 'O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro'. Foto: DivulgaçãoCena de 'O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro'. Foto: DivulgaçãoCena de 'O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro'. Foto: DivulgaçãoCena de 'O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro'. Foto: Divulgação

Agora chegou a hora de avançar um pouco na história em “O Espetacular Homem-Aranha 2”, que estreia nesta quinta-feira (1º) no Brasil. “Desta vez, desde o princípio, o Homem-Aranha é o Homem-Aranha, e está amando. Está fazendo coisas incríveis e extraordinárias e realmente se divertindo”, explica Marc Webb em entrevista em Los Angeles.

Como sempre, Peter Parker precisa enfrentar uma gangue de vilões. Tem o ladrão russo Aleksei Sytsevich (Paul Giamatti), também conhecido como Rhino, o herdeiro da OsCorp, Harry Osborne (Dane DeHaan), em sua versão Duende Verde e, principalmente, Electro (Jamie Foxx), que começa o filme como Max Dillon, um cara de 42 anos que ainda vive com a mãe.

“Ninguém se lembra do seu aniversário, e não está certo ninguém ter um bolo para você”, disse o ator. “É alguém vagando pela vida, que nunca ouve seu nome ser dito por outra pessoa e, de repente, é reconhecido pelo cara mais importante do mundo. Só que depois é esquecido novamente, o que é motivo suficiente para ele querer chutar o traseiro do Homem-Aranha.”

Para Foxx, vencedor do Oscar por “Ray” (2004), uma razão a mais para aceitar o papel foi a paixão de sua filha Annalise, de 4 anos, pelo super-herói. “Estava no meio de sua festa de aniversário com tema de Homem-Aranha quando soube que tinha sido escolhido para fazer o filme”, contou. “É incrível que uma criança de quatro anos ainda fique tão fascinada com ele, tanto tempo depois de sua criação.”

Até o inventor do personagem, Stan Lee, 91, mostra-se surpreso com o sucesso. “Escrevi essas histórias há um milhão de anos e foi isso. E agora fazem esses filmes maravilhosos baseados nelas. Esses caras fazem todo o trabalho, e eu ganho os créditos. É um bom negócio!”, afirma, com seu bom humor habitual.

Getty Images
Stan Lee em novembro de 2013

Ainda em tom de brincadeira, disse que primeiro os roteiristas decidem como vai ser sua ponta no filme – Lee participa de todas as produções baseadas em seus quadrinhos – para só depois pensar no vilão e na trama. O principal, para ele, é que o Homem-Aranha seja um personagem compreendido por todos. “Todos temos problemas. Todos gostaríamos de ser diferentes. Todos nos sentimos um pouco frustrados. Achei que seria divertido ter um super-herói com os mesmos problemas pessoais do que nós.”

No caso de Peter Parker, eles vêm sob duas formas: saber o que aconteceu com seus pais e manter a promessa feita ao capitão da polícia, George Stacy (Denis Leary), morto no primeiro filme, de permanecer longe de sua filha Gwen (Emma Stone). Claro que ele não consegue, e o romance ganha uma nova complicação com a possibilidade de a mocinha ir estudar na Inglaterra. A química entre Andrew Garfield e Emma Stone, namorados na vida real, é um dos destaques do filme.

Algumas mudanças foram promovidas em relação a “O Espetacular Homem-Aranha”: o uso da câmera, o roteiro (assinado por Alex Kurtzman, Roberto Orci e Jeff Pinkner) e o figurino. O diretor Marc Webb admite que a equipe não acertou no uniforme da primeira vez. “Mas naquele um garoto tinha feito sua própria roupa. Aqui, queríamos um uniforme icônico, com seus grandes olhos. E foi muito difícil de conseguir.” Vários testes foram feitos, inclusive alguns que deixaram Andrew Garfield sem conseguir enxergar nada. A versão final é um misto de figurino com efeitos especiais.

Divulgação
Cena de 'O Espetacular Homem-Aranha 2'

“Se os olhos não estão certos, apesar de todo o resto estar, os fãs vão dizer: ‘Os olhos são um lixo. Os olhos são um lixo. Os olhos são um lixo. Não consigo prestar atenção em mais nada. Os olhos são um lixo’”, disse o ator. Ele sabe bem do que está falando. “Sempre penso nos milhões de fãs, porque eu sou um dos milhões de fãs.”

O ator, como o personagem, sentiu-se mais confortável na pele do super-herói. Houve alguns momentos-chave em que sentiu um “agora, sim, sou o Homem-Aranha”. Por exemplo, quando estava empoleirado num prédio, a 80 andares de altura. Claro que nessas horas também bate um instinto de sobrevivência. “Preciso atuar como se estivesse sentado num banco de praça, enquanto meu corpo pensa que posso cair e morrer a qualquer momento”, conta o ator, que obviamente estava bem seguro por cabos, apagados na pós-produção. Mas é um problema bem Homem-Aranha de ter.

Música

Marc Webb também tentou dar uma transformada na trilha sonora. No lugar de James Horner, entra Hans Zimmer, que fez a trilha dos “Batman” de Christopher Nolan. “Queria colocar o filme num contexto mais contemporâneo e criar uma trilha que parecesse um som que você ouviria ao sair do cinema, no rádio”, disse o diretor. Foi aí que surgiu a ideia de formar um supergrupo com Pharrell Williams, Johnny Marr (ex-Smiths), Michael Einziger e David A. Stewart (Eurythmics).

“Há uma ênfase na juventude do personagem e na sua maneira interessante de ver as coisas”, explica Williams, autor de “Happy” e colaborador de Daft Punk, Robin Thicke, Damon Albarn e Madonna. Na trilha, a faixa “It’s on Again” conta com a participação de Alicia Keys e Kendrick Lamar. Modesto, Pharrell Williams disse que nem podia levar crédito pelas composições. “Só coloco no papel o que está acontecendo na sala! Quando trabalho com Hans Zimmer, sempre aprendo alguma coisa, e ainda sou pago por isso.”


compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas