"O Capitão América precisa usar todo o seu potencial", conta Chris Evans ao iG

Por Mariane Morisawa , especial para o iG, de Manhattan Beach | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Ator fala sobre a evolução do personagem no segundo filme da franquia, atualmente em cartaz no Brasil

Chris Evans veste pela terceira vez o uniforme do super-herói mais certinho de todos os tempos em "Capitão América 2 – O Soldado Invernal", de Joe e Anthony Russo, que está em cartaz no Brasil.

Crítica - Novo "Capitão América" aposta em excessos: muitas lutas e surpresas

Imagem do filme 'Capitão América - O Soldado Invernal'. Foto: DivulgaçãoSebastian Stan em cena do filme  'Capitão América - O Soldado Invernal'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Capitão América - O Soldado Invernal'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Capitão América - O Soldado Invernal'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Capitão América - O Soldado Invernal'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Capitão América - O Soldado Invernal'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Capitão América - O Soldado Invernal'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Capitão América - O Soldado Invernal'. Foto: Divulgação

Depois de enfrentar nazistas no filme de origem, "Capitão América – O Primeiro Vingador", dirigido por Joe Johnston, e de se juntar a Homem de Ferro, Thor, Hulk e companhia em "Os Vingadores", de Joss Whedon, ele agora precisa se adaptar aos novos tempos.

Leia também: Efeito “Os Vingadores” impulsiona lançamentos da Marvel
Infográfico: Veja a história visual do Capitão América

Trabalhando para a agência secreta S.H.I.E.L.D. ao lado da Viúva Negra (Scarlett Johansson), Steve Rogers precisa recrutar um novo aliado, o Falcão (Anthony Mackie), para enfrentar uma grande conspiração.

Na sede dos estúdios Marvel em Manhattan Beach, na Califórnia, Chris Evans conversou com o iG no intervalo da filmagem de uma cena em que ele, Johansson e Mackie tentavam se proteger de balas dentro de um carro em alta velocidade – na verdade, tudo foi filmado num estúdio cercado de telas verdes.

Siga o iG Cultura no Twitter

iG: Pode falar um pouco sobre o que o Capitão América fez desde "Os Vingadores" e qual é a sua história neste filme?
Chris Evans: Ele trabalha para a S.H.I.E.L.D., tem mais responsabilidades, está fazendo o que gosta, que é servir. O primeiro filme era sobre sua inabilidade de ser o homem que desejava ser, e agora ele tem essa habilidade, mas a definição de bem e mal hoje em dia é bem mais complicada do que nos anos 1940, na Segunda Guerra Mundial, quando estava bem claro quem eram os vilões.

iG: Pode falar sobre o relacionamento do Capitão América com a Viúva Negra?
Chris Evans: A relação evoluiu muito. Os dois estão bem próximos. Um vai precisar confiar no outro de uma maneira que nunca confiou antes. A Viúva Negra é uma espiã, e os espiões não são necessariamente confiáveis. Para o Capitão, sempre tão íntegro, é difícil lidar com segredos.

iG: Steve é como uma rocha de esperança e de decência. É por isso que o público o ama, mas para você interpretá-lo deve ser bem difícil.
Chris Evans: Ele sempre coloca seus próprios interesses por último. É muito difícil encontrar conflito num cara que tenta evitar os conflitos a todo custo, pelo menos internamente. Em "Capitão América 2", os roteiristas fizeram um bom trabalho, focando mais na adaptação do personagem aos dias atuais. E aí dá para brincar um pouco com seu compasso moral. Steve está acostumado aos anos 1940. Hoje em dia, com a tecnologia, chegou a um ponto em que, para defender a segurança e a liberdade, às vezes se tomam medidas extremas que podem infringir os direitos civis. É uma área muito cinzenta. É um período difícil para ele tentar descobrir onde se encaixa, quem é bom e quem é ruim.

iG: Como a Marvel e os diretores tornaram o Capitão América mais poderoso neste filme?
Chris Evans: Eu queria que Cap fosse realmente perigoso. Ele precisa usar todo o seu potencial. Não pode estar no mesmo nível de Jason Bourne, precisa ser mais do que Jason Bourne. Então mostramos mais sua força e seus reflexos. Ele usa muito mais o espaço à sua volta em suas lutas. Quando chuta alguém, o cara não vai cair, vai sair voando. Não é que ele vai dividir um carro ao meio, mas precisa ser mais do que um homem forte. Sei que muita gente, inclusive eu, ficou preocupada quando os irmãos Russo foram anunciados como diretores, porque eles não tinham muita experiência em cenas de ação. Mas em Kevin Feige (presidente de produção dos estúdios Marvel) confiamos. Ele escolheu e apoiou os caras, que fizeram um trabalho absurdo com esse filme.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas