De censura em países árabes a protestos religiosos: veja as polêmicas de "Noé"

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Estrelado por Russell Crowe, filme de Darren Aronofsky estreia nesta quinta-feira (3) no Brasil

Novo filme de Darren Aronofksy, "Noé" chega aos cinemas brasileiros nesta quinta-feira (3) cercado por polêmica. Das disputas entre o diretor e o estúdio aos protestos de grupos religiosos, saiba mais sobre as controvérsias do filme estrelado por Russell Crowe.

Crítica: "Noé" une história bíblica e espetáculo hollywoodiano

Cena do filme 'Noé'. Foto: DivulgaçãoCena do filme 'Noé'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Noé'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Noé'. Foto: DivulgaçãoCena do filme 'Noé'. Foto: DivulgaçãoCena do filme 'Noé'. Foto: DivulgaçãoCena do filme 'Noé'. Foto: DivulgaçãoCena do filme 'Noé'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Noé'. Foto: Divulgação

Aronofsky x Paramount: Em outubro de 2013, uma reportagem do site "Hollywood Reporter" revelou disputas entre Aronofsky e a Paramount, estúdio responsável pelo lançamento de "Noé". Depois de o filme provocar reação negativa durante testes com plateias diversificadas, e o diretor se recusar a fazer mudanças, o próprio estúdio começou a criar outras versões e testá-las com o público. Como elas também se mostraram polêmicas, o corte final ficou com Aronofsky.

Protestos de grupos religiosos: as primeiras críticas a "Noé" foram feitas em 2012, quando o roteirista religioso Brian Godawa leu uma versão do roteiro e disse que Aronofsky mostrava Noé como um "louco ambientalista". Conforme exibições foram feitas e detalhes sobre a trama foram sendo divulgados, os protestos cresceram, principalmente pelo fato o filme mostrar personagens e situações que não estão na Bíblia.

Getty Images
Russell Crowe visitou o Vaticano em 19/03/2014

Atendendo a uma recomendação feita durante convenção da National Religious Broadcasters, a Paramount acrescentou um aviso ao material promocional dizendo que o filme era "inspirado na história de Noé" e que "embora liberdades artísticas tenham sido tomadas, ele é fiel à essência, aos valores e à integridade da história".

Siga o iG Cultura no Twitter

Apesar da polêmica, alguns católicos escreveram textos em defesa do filme, e a Paramount encomendou um vídeo no qual especialistas falavam sobre as semelhanças da trama com o texto bíblico.

Crowe e o papa: Depois de várias tentativas de se comunicar com o papa Francisco via Twitter ("seria meu prazer mais profundo levar o filme à sua tela"), Russell Crowe foi ao Vaticano em 19 de março. Porém, não houve encontro privado nem nenhuma foto do ator com o pontífice. Aliás, até onde se sabe eles nem se falaram: Crowe e Aronofsky teriam recebido convites VIPs para assistir à audiência semanal na Praça São Pedro.

Censura: Catar, Bahrein e Emirados Árabes proibiram o lançamento do filme, e decisões semelhantes são esperadas de Egito, Jordânia e Kuwait. A Indonésia também baniu "Noé", dizendo "não querer um filme que pode provocar reações e controvérsias".

Leia tudo sobre: noécinemarussell crowedarren aronofskyjennifer connelly

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas