De "Pra Frente, Brasil" a "Hoje": 15 filmes fundamentais sobre a ditadura

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

A pedido do iG, pesquisadora Caroline Gomes Leme recomenda longas de ficção que retratam o período militar no País

Cinquenta anos após o golpe de 1964, a ditadura militar continua sendo tema marcante do cinema brasileiro, presente direta ou indiretamente em grande parte da produção.

Leia também: 50 anos após o golpe, ditadura é central no cinema brasileiro

Diante desta ampla filmografia, o iG convidou a pesquisadora Caroline Gomes Leme, autora de "Ditadura em Imagem e Som", a recomendar 15 filmes de ficção sobre o período militar. Entre os citados estão longas voltados ao grande público, como "Pra Frente, Brasil" e "O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias", e obras menos conhecidas, como "Corpo" e "Hoje".

Imagem do filme 'A Memória que me Contam', de Lúcia Murat (2013). Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Hoje', de Tata Amaral (2013). Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Corpo', de Rossana Foglia e Rubens Rewald (2007). Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Batismo de Sangue', de Helvécio Ratton (2007). Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Zuzu Angel', de Sérgio Rezende (2006). Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias', de Cao Hamburger (2006). Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Cabra-Cega', de Toni Venturi (2005). Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Quase Dois Irmãos', de Lúcia Murat (2004). Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'A Terceira Morte de Joaquim Bolívar', de Flávio Cândido (2000). Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Ação Entre Amigos', de Beto Brant (1998). Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Lamarca', de Sérgio Rezende (1994) . Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Corpo em Delito', de Nuno César Abreu (1990). Foto: ReproduçãoImagem do filme 'Tanga - Deu no New York Times?', de Henfil (1987). Foto: Reprodução/Canal BrasilImagem do filme 'Nunca Fomos Tão Felizes', de Murilo Salles (1984). Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Pra Frente, Brasil', de Roberto Farias (1982). Foto: Divulgação

"Nem todos são primorosos do ponto de vista cinematográfico, mas, a meu ver, são filmes interessantes", afirmou Leme. "Alguns apelam bastante para códigos do cinema de gênero e para a heroicização individual dos protagonistas, mas podem ter sua importância por trazer o tema da ditadura para um público habituado à televisão."

Veja 15 filmes que retratam a ditadura militar:

"Pra Frente, Brasil" (1982): Dirigido por Roberto Farias, foi um dos primeiros filmes a retratar a ditadura e chegou a ser censurado. Nos anos 1970, enquanto o País vibra com a Copa do Mundo e prisioneiros políticos são torturados, um trabalhador de classe média é confundido com um ativista. "Embora tenha uma perspectiva um tanto conciliadora, (o filme) teve, à sua época, um papel importante de denúncia", afirmou Leme.

"Nunca Fomos Tão Felizes" (1984): O diretor Murilo Salles retrata o período da ditadura a partir de uma relação familiar. Um militante perseguido pelo regime retira seu filho de um colégio interno após anos sem comunicação. Disposto a desvendar os mistérios do pai e conhecê-lo melhor, o jovem começa a investigar sua vida.

"Tanga - Deu no New York Times?" (1987): Comédia dirigida pelo cartunista Henfil sobre a vida na miserável ilha de Tanga, na qual um ditador baseia suas decisões a partir da única edição do jornal norte-americano "New York Times" que chega ao local. Para conquistar o poder, guerrilheiros lutam para ter acesso ao diário.

Divulgação
Imagem do filme 'Ação Entre Amigos'

"Corpo em Delito" (1990): Dirigido por Nuno César Abreu, tem Lima Duarte como Athos, um médico legista que falsifica laudos para encobrir mortes causadas pela repressão durante a década de 1970. Após se aposentar e se dedicar à carreira de escritor, ele continua assombrado pelos acontecimentos do passado.

Siga o iG Cultura no Twitter

"Lamarca" (1994): O ator Paulo Betti estrela a cinebiografia do militar e guerrilheiro Carlos Lamarca, um dos mais conhecidos do País, que foi morto aos 33 anos, em 1971. Sérgio Rezende é o diretor do filme, adaptação do livro de Emiliano José e Miranda Oldack.

"Ação Entre Amigos" (1998): Dirigido por Beto Brant, o filme acompanha um grupo de quatro ex-guerrilheiros que, 25 anos após terem sido presos e torturados pela ditadura, se reúnem para encontrar o homem responsável pelo que aconteceu.

"A Terceira Morte de Joaquim Bolívar" (2000): Dirigido por Flávio Cândido, acompanha o conflito ideológico de 35 anos entre um barbeiro comunista, Joaquim Bolívar, e o coronel Gaudêncio, manda-chuva de uma fictícia cidade do Rio de Janeiro.

"Quase Dois Irmãos" (2004): Questões raciais ganham destaque no longa de Lúcia Murat sobre o reencontro de dois amigos de infância com trajetórias marcadas por semelhanças e diferenças. Nos anos 1970, eles foram enviados à mesma penitenciária e enquadrados na Lei de Segurança Nacional. Depois, um se tornou político e o outro, chefe do tráfico.

Divulgação
Imagem do filme 'O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias'

"Cabra-Cega" (2005): Dirigido por Toni Venturi, conta a história de Tiago e Rosa, dois jovens militantes da luta armada nos anos 1970. Após ser ferido, Tiago precisa se esconder na casa de um simpatizante do movimento, em quem não sabe se pode confiar, e contar com Rosa para se conectar com o mundo exterior.

"O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias" (2006): Dirigido por Cao Hamburguer, é estrelado por Michel Joelsas. O jovem ator interpreta Mauro, um garoto de 12 anos que vê sua vida mudar completamente quando os pais, militantes de esquerda no Brasil dos anos 1970, saem de férias de forma inesperada.

"Zuzu Angel" (2006): Cinebiografia da estilista Zuzu Angel, interpretada por Patricia Pillar. Sucesso em sua profissão, nos anos 1970 ela luta contra o regime para denunciar o desaparecimento do filho, Stuart, integrante do movimento estudantil. Direção de Sérgio Rezende.

"Batismo de Sangue" (2007): Baseado no premiado livro homônimo de Frei Betto, tem direção de Helvécio Ratton. Sob o ponto de vista de Frei Tito, interpretado pelo ator Caio Blat, o filme mostra a ação de um grupo de frades dominicanos contra o regime militar.

"Corpo" (2007): Dirigido por Rossana Foglia e Rubens Rewald, narra a obsessão do legista Artur, personagem do ator Leonardo Medeiros, em descobrir a identidade de um cadáver encontrado em meio a restos mortais de presos políticos mortos durante a ditadura.

"Hoje" (2013): Em 1998, uma ex-militante política realiza o sonho de comprar seu apartamento, graças à indenização recebida pelo desaparecimento do marido durante o regime militar. O recomeço planejado por Vera se vê ameaçado quando o marido reaparece 30 anos depois, no dia da mudança.

"A Memória que Me Contam" (2013): Irene Ravache interpreta o alter-ego da diretora Lúcia Murat, uma ex-revolucionária que reencontra companheiros de resistência em uma sala de hospital. Eles esperam por notícias da também guerrilheira Ana, personagem inspirada em Vera Silvia Magalhães, amiga de Murat na vida real e a quem o filme é dedicado.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas