"O brasileiro ainda está descobrindo o cinema nacional", diz Caio Blat

Por Luísa Pécora , iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Em cartaz com "Alemão" e "Entre Nós", ator fala ao iG sobre diversidade da produção e planos de ser diretor

Um dos rostos mais conhecidos do cinema nacional contemporâneo, Caio Blat, 33 anos, vê na própria carreira sinais de que a produção brasileira ganha diversidade: ele está duplamente em cartaz, com "Alemão", um filme de ação de forte apelo popular, e "Entre Nós", um drama intimista que estreia nesta quinta-feira (27).

Crítica: Drama e suspense, "Entre Nós" mostra efeitos do tempo em turma de amigos
Leia também: "Alemão" narra história ficcional inspirada em invasão a favela carioca

"('Alemão') é um filme que fala de questões sociais, de favela, de polícia. O brasileiro gosta disto. O que estamos tentando mostrar (com 'Entre Nós') é o que o cinema já consegue fazer filmes de outros gêneros, tão bons quanto", afirmou Blat, em entrevista ao iG. "O brasileiro ainda está descobrindo o cinema nacional, ainda está descobrindo que pode ser uma delícia sair no fim de semana para ver um filme brasileiro;"

Veja a entrevista com Caio Blat:

Em "Entre Nós", o ator encabeça um elenco jovem (Paulo Vilhena, Carolina Dieckmann, Martha Nowill, Julio Andrade, Lee Taylor e a mulher de Blat, Maria Ribeiro) que vive uma turma de aspirantes a escritores.

Vídeo: Televisão afasta Paulo Vilhena e Carolina Dieckmann do cinema

O filme se divide em dois momentos: em um alegre fim de semana de 1992, eles escrevem cartas para si mesmos, que serão lidas dali a dez anos; quando o novo encontro acontece, em 2002, o clima é radicalmente diferente e os amigos, agora adultos, precisam lidar com a trágica morte de um de seus integrantes e as frustrações e arrependimentos da vida adulta.

"É um filme que fala sobre a nossa geração, sobre o País em que a gente vive hoje", disse Blat. "Todo mundo que tem uma turma vai se reconhecer".

Paulo e Pedro Morelli com a atriz Carolina Dieckmann no set de 'Entre Nós'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Entre Nós'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Entre Nós'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Entre Nós'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Entre Nós'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Entre Nós'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Entre Nós'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Entre Nós'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Entre Nós'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Entre Nós'. Foto: Divulgação

Defensor de medidas para estimular o público a ver filmes nacionais, como a redução do preço dos ingressos e uma política que leve estudantes da rede pública às salas, Blat agora corre atrás de patrocínio para fazer sua estreia na direção.

Com roteiro pronto, o filme adapta para o cinema de "Juliano Pavollini", romance de Cristóvão Tezza sobre a vida de um adolescente na década de 1960.

Siga o iG Cultura no Twitter

Vê-lo nas telas é um dos desejos de Blat para os próximos dez anos - como seu personagem em "Entre Nós", ele escreveu e enterrou uma carta para si mesmo na locação, um sítio na Serra da Mantiqueira.

"Gostaria de estar com meu filme pronto, distribuído, que tenha sido um sucesso", disse. "Tenho orgulho da família que construí nos últimos dez anos junto com a Maria. Espero que a gente esteja junto, forte, com uma família bonita, os filhos já crescidos e fazendo cinema."

Leia tudo sobre: caio blatentre nóscinemacinema nacionalpaulo morellialemão

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas