Norte-americana foi ícone na década de 1930, quando era uma criança, por filmes como "Olhos Encantadores"

Talvez a mais famosa "estrela mirim" do cinema, a atriz Shirley Temple morreu aos 85 anos.

De acordo com um porta-voz, a atriz morreu cercada por familiares em sua casa em Woodside, na Califórnia, EUA.

"Nós a exaltamos por uma vida de conquistas marcantes como atriz, diplomata e, mais importante, como nossa querida mãe, avó, bisavó e adorada esposa por 55 anos", disse comunicado emitido pela família.

Siga o iG Cultura no Twitter

Shirley Temple começou a carreira aos 3 anos de idade e, nos anos 1930, tornou-se ícone mirim do cinema. Cantora, dançarina e atriz, seu sucesso ajudou a salvar a 20th Century Fox da falência na época.

A garotinha dos cabelos cacheados, olhos brilhantes e covinhas nas bochechas fez os norte-americanos sorrirem durante a Grande Depressão. O então presidente dos EUA, Franklin D. Roosevelt, chegou a agradecer Temple por "ajudar o país a atravessar a grande Depressão portando apenas um sorriso".

Entre seus filmes de maior sucesso, estão "Olhos Encantadores" (1934), "A Pequena Órfã" (1935), "A Pobre Menina Rica" (1936), "Heidi" (1937), "A Pequena Princesa" (1939), "Sangue de Heróis", 1948.

Em 1935, recebeu a primeira estatueta do Oscar dedicada a atores mirins - as crianças não disputava o prêmio com os adultos.

Temple ganhou uma estrela na Calçada da Fama em 1960. Em 2006, foi homenageada pela carreira em cerimônia do Sindicato de Atores dos Estados Unidos.

A atriz se casou duas vezes. Aos 17 anos, com um soldado, com quem teve uma filha. Em 1950, com um oficial da Marinha, com quem teve dois filhos.

Ela se aposentou dos filmes aos 21 anos e tentou a carreira política. Concorreu ao Senado dos EUA em 1967, mas não foi eleita. Shirley virou diplomata e trabalhou como embaixadora na Thecoslováquia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.