Meninos abandonados e briga de ex-preso e xerife iniciam Festival de Berlim

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Longas 'Jack' e 'Two Men in Town' estão na disputa pela estatueta de melhor filme no evento alemão

Reuters

Dois filmes poderosos, um sobre a difícil situação de dois meninos abandonados em Berlim e outro sobre um ex-condenado assombrado por seu violento passado, deram a largada na competição pelo melhor filme no 64º Festival Internacional de Cinema de Berlim.

O filme "Jack", do diretor alemão Edward Berger, tem o ator mirim imensamente convincente Ivo Pietzcker, de 11 anos, em sua primeira atuação, como Jack, e seu loiro irmão mais novo, Manuel, encontrando seu rumo em meio a um labirinto de ruas em Berlim, com sua vida noturna sob influência das drogas.

Siga o iG Cultura no Twitter

Divulgação
Cena de 'Jack', dirigido por Edward Berger

É a primeira vez desde 2002 que quatro filmes alemães estão na disputa pelo principal prêmio do festival.

O filme "Two Men in Town", do diretor franco-argelino Rachid Bouchareb, tem Forest Whitaker como um homem em liberdade condicional cujo crime, o assassinato de um vice-xerife, não vai ser esquecido pelo xerife interpretado por Harvey Keitel.

Mais notícias sobre o Festival de Berlim

A produção tem duas fortes interpretações dos atores em uma briga numa pequena cidade do Estado norte-americano do Novo México.

O festival começou na quinta-feira (6) com a exibição de "The Grand Budapest Hotel", do diretor Wes Anderson. "Jack" e "Two Men in Town" estão entre os 20 filmes na competição pelo Urso de Ouro, que será entregue no fim da semana que vem.

Divulgação
Forest Whitaker em cena de 'Two Men in Town'

Sem clichês

O filme de Berger mostra o garoto mais velho enfrentando o desafio da sobrevivência depois que sua mãe, solteira, o deixa em um abrigo para crianças porque não consegue sustentar os dois.

Jack, alvo de bullying, é quase afogado por seu principal algoz. Ele foge e embarca em uma odisseia com o irmão Manuel para encontrar a mãe em Berlim.

"Isto nem sempre é realidade, mas pode acontecer", disse Berger na entrevista coletiva à imprensa.

Berger disse ter tentado deliberadamente não fazer um filme "especificamente de Berlim" para poder apresentar o problema universal de jovens crescendo em famílias desestruturadas.

"Desde o começo nós decidimos não mostrar clichês", disse Nele Mueller-Stoefen, que fez o roteiro. "Nós a mostramos (a mãe) sendo afetuosa, mas com Jack assumindo responsabilidades, que é algo que acontece frequentemente em uma família."

Redenção pessoal

Em contraste, "Two Men in Town" se passa longe da cidade, na fronteira desértica do Novo México, onde William Garnett tenta refazer a vida depois de 18 anos de prisão, com a ajuda de sua nova fé no islamismo e uma namorada interpretada pela atriz mexicana Dolores Heredia.

Ele também tem o apoio da funcionária mal-humorada encarregada de acompanhar sua condicional, interpretada pela britânica Brenda Blethyn, que tenta afastá-lo do desejo de vingança do xerife, que quer mandá-lo de volta à prisão.

A obra, inspirada por um filme francês de 1973 de mesmo nome, com Alain Delon, explora a interação entre humanidade e regras, imigração - o longo muro na fronteira com o México é uma presença constante - e a busca pela redenção pessoal.

Leia tudo sobre: festival de berlimcinema

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas