Revista norte-americana elogia "RoboCop", estreia de José Padilha em Hollywood

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

"Variety" diz que diretor brasileiro colocou "energia das ruas" em remake "mais inteligente do que o esperado"

A revista "Variety", uma das publicações de cinema mais importantes dos Estados Unidos, elogiou "RoboCop", estreia em Hollywood do diretor brasileiro José Padilha ("Tropa de Elite"). O filme estreia em 21 de fevereiro no Brasil.

De acordo com a "Variety", o longa de Padilha é "mais inteligente do que o esperado" e repara grande parte do "dano" causado por sequências ruins ao filme original, de 1987, dirigido pelo holandês Paul Verhoeven.

Leia também: Elenco virá ao Brasil para divulgar "RoboCop"

Imagem do filme 'RoboCop'. Foto: DivulgaçãoCena de 'Robocop', dirigido por José Padilha. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'RoboCop'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Robocop'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'RoboCop'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Robocop'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'RoboCop'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'RoboCop'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'RoboCop'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'RoboCop'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'RoboCop'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'RoboCop'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Robocop'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Robocop'. Foto: Divulgação

O crítico Guy Lodge elogiou a escolha de Padilha para a direção, chamando o diretor de "estimulador de adrenalina". "Assim como o liberalismo cínico do 'RoboCop' original era perfeito para a perspectiva europeia de Verhoeven, o novo filme também se beneficia da distância de um diretor estrangeiro, conforme encara as preocupações com segurança da direita norte-americana."

Lodge diz que o estilo Padilha é bem diferente do de Verhoeven: "Enquanto o holandês queria ser ainda mais chamativo do que Hollywood, o brasileiro traz ao filme uma energia dura, das ruas, que às vezes beira a afetação."

Siga o iG Cultura no Twitter

"A atmosfera criada por Padilha e pela câmera inquieta de Lula Carvalho (cinegrafista brasileiro) parece ao mesmo tempo urgente e adulta. Após os filmes de 'Tropa de Elite', Padilha sabe mais sobre os perigos da guerra urbana do que a maioria das pessoas."

Entre as críticas de Lodge estão o exagero de uso de câmera na mão em cenas internas e o fato de a modernização da história, promovida por Padilha e pelo roteirista Joshua Zetumer, não ter se estendido às mulheres da trama, que continuam em posição coadjuvante.

Leia tudo sobre: robocopjosé padilhacinema

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas