Segundo a polícia, Daniel Coutinho disse em depoimento que "tinha medo constante de viver"

O filho do cineasta Eduardo Coutinho foi ouvido pela polícia do Rio de Janeiro na tarde desta segunda-feira (3) e confessou ter assassinado o pai e tentado matar a mãe, Maria das Dores Oliveira Coutinho. De acordo com a Divisão de Homicídios, a prisão em flagrante de Daniel Coutinho, 41 anos, acusado de matar o diretor a facadas, foi convertida em prisão preventiva.

Análise: Eduardo Coutinho, o cineasta que queria ouvir

Segundo o delegado Rivaldo Barbosa, Daniel foi ouvido no hospital Miguel Couto, onde está internado depois de ter esfaqueado o próprio corpo. O depoimento durou cerca de duas horas. Daniel contou ter esfaqueado o pai e a mãe. "Ele disse que tinha medo constante de viver e que o objetivo era se suicidar, mas não queria deixar os pais desamparados", afirmou o delegado.

Rivaldo Barbosa não confirmou que Daniel sofra de esquizofrenia. "Não existe estudo que faça relação entre a doença mental e a prática de crime", afirmou.

Siga o iG Cultura no Twitter

Um dos mais importantes cineastas do Brasil, Coutinho foi enterrado na segunda-feira (3), sob aplausos e uma chuva de pétalas de rosa. 

Além de parentes, estiveram presentes personalidades artísticas como os cineastas João Moreira Salles e Walter Salles, os atores Lázaro Ramos, João Miguel e Otávio Augusto, o produtor Luiz Carlos Barreto, a cantora Adriana Calcanhoto e o escritor Ferreira Gullar, entre outros.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.