Vizinho afirma que filho de Eduardo Coutinho fumou cigarro após cometer crime

Por Nina Ramos , iG Rio de Janeiro | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Daniel Coutinho estava com duas perfurações profundas no abdômen e com o pulso cortado

O corpo do cineasta Eduardo Coutinho está sendo velado no cemitério São João Batista, em Botafogo, no Rio de Janeiro.

Mais: Personalidades do cinema se despedem de Coutinho em velório

O documentarista Eduardo Coutinho, 80, foi morto a facadas no domingo. A mulher, Maria das Dores Oliveira Coutinho, 61, também foi atingida e está internada no hospital Miguel Couto. Segundo a polícia, o autor do crime é o filho do casal, Daniel Coutinho, 41, que tentou cometer suicídio esfaqueando o próprio corpo. Ele também foi levado ao hospital.

Mais: 'Eu libertei meu pai', diz filho de Eduardo Coutinho após o crime

Eduardo Coutinho autografa livro sobre ele no Cinesesc (25/10). Foto: Divulgação'Teodorico, o Imperador do Sertão', de Eduardo Coutinho (1978). Foto: DivulgaçãoEduardo Coutinho nas gravações do documentário "Cabra Marcado para Morrer". Foto: DivulgaçãoMoscou. Foto: DivulgaçãoEduardo Coutinho. Foto: George MagaraiaEduardo Coutinho. Foto: Mario Miranda/Agência FotoEduardo Coutinho é tema de retrospectiva na Mostra de Cinema de SP. Foto: DivulgaçãoEduardo Coutinho na Flip 2013. Foto: Walter Craveiro/Divulgação

O vizinho do cineasta, que chamou o Corpo de Bombeiros para socorrer as vítimas, estava no velório e conversou com o iG sobre o ocorrido.

"Moro no apatrtamento ao lado há muito tempo. O Daniel bateu na porta e minha mulher o atendeu. Ela então fechou a porta e eu fui ver o que era. O Daniel pedia ajuda e estava bem machucado", disse o vizinho, que pediu para não ser identificado.

Repercussão - "Eduardo Coutinho era um dos maiores diretores do Brasil"

"Ele tinha duas perfurações muito profundas no abdômen e o pulso estava cortado. Estava visualmente surtado e aliviado. Disse: 'Eu libertei a minha mãe, o meu pai e tentei me libertar também, mas nada acontecia'."

O vizinho diz que conhecia a família Coutinho há muito tempo. "Eram calmos, nunca ouvi gritaria ou confusão. Vi osmeninos (Daniel e Pedro) crescerem. O Daniel sempre foi mais quieto, introvertido, e isso tinha se acentuado há algum tempo. Há meses não o encontrava."

Depois de ouvir Daniel, o vizinho desceu para pedir ajuda ao porteiro. "Acionamos o Corpo de Bombeiros e eles chegaram entre cinco a dez minutos depois. Nesse tempo, o Daniel estava calmo e fumou um cigarro."

Os Bombeiros encontraram o corpo de Coutinho na sala do apartamento, e Maria no banheiro.

Leia tudo sobre: eduardo coutinhocinema

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas