Sob aplausos e chuva de pétalas de rosa, Eduardo Coutinho é enterrado no Rio

Por Nina Ramos , iG Rio de Janeiro | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Veja discurso em homenagem ao documentarista que foi morto a facadas no apartamento em que morava

O corpo do cineasta Eduardo Coutinho foi enterrado na tarde desta segunda-feira (3) no cemitério São João Batista, no Rio de Janeiro.

Além de parentes, personalidades artísticas estiveram presente, como os cineastas João Moreira Salles e Walter Salles, os atores Lázaro Ramos, João Miguel e Otávio Augusto, o produtor Luiz Carlos Barreto, a cantora Adriana Calcanhoto e o escritor Ferreira Gullar.

Análise: Eduardo Coutinho, o cineasta que queria ouvir

Artistas como o ator Otávio Augusto (direita) se despedem do cineasta Eduardo Coutinho durante velório no Cemitério São João Batista, no Rio. Foto: Ale Silva/Futura PressArmando Freires Filho (direita) e João Moreira Salles no velório de Eduardo Coutinho no Cemitério São João Batista. Foto: Ale Silva/Futura PressO produtor Luiz Carlos Barreto no velório do cineasta Eduardo Coutinho no Rio. Foto: Ale Silva/Futura PressEduardo Coutinho autografa livro sobre ele no Cinesesc (25/10). Foto: DivulgaçãoEduardo Coutinho em evento da Mostra de Cinema de SP de 2013. Foto: DivulgaçãoEduardo Coutinho na Flip 2013. Foto: Walter Craveiro/DivulgaçãoEduardo Coutinho e Adriana Rattes no Festival do Rio 2011. Foto: George MagaraiaEduardo Coutinho no Festival do Rio de 2011. Foto: George MagaraiaO cineasta Eduardo Coutinho. Foto: George MagaraiaO cineasta Eduardo Coutinho. Foto: Mario Miranda/Agência Foto

Quando o túmulo foi fechado, houve mais de cinco minutos de aplausos. Houve chuva de pétalas de rosa. O ator Antonio Pitanga puxou duas vezes o coro "Eduardo Coutinho" e todos respondiam "Presente".

O cineasta Victor Lopes leu um texto em homenagem ao documentarista.

O cineasta Eduardo Coutinho, de 80 anos, foi morto a facadas no domingo (2). Sua mulher, Maria das Dores Oliveira Coutinho, 61, também foi atingida e está internada no hospital Miguel Couto. Segundo a polícia, o autor do crime é o filho do casal, Daniel Coutinho, 41, que tentou cometer suicídio esfaqueando o próprio corpo. Ele também foi levado ao hospital.

Mais: 'Eu libertei meu pai', diz filho de Eduardo Coutinho após o crime

O outro filho de Coutinho, Pedro, chegou ao velório por volta das 15h. Ele estava com a mulher e não quis falar com a imprensa. Também não deram declarações artistas como as atrizes Camila Morgado e Bel Kutner e a diretora Amora Mautner.

O ator Wagner Moura disse que a notícia da morte foi "um choque". "Estou abalado. Nós perdemos um dos mais importantes cineastas de todos os tempos. Era uma pessoa muito amável, delicada, querida." Moura contou que costumava encontrar Coutinho em um bar no Jardim Botânico, no Rio. "Ele, com o cigarrinho, quem chegava sentava na mesa. Todo mundo achava que ele fosse morrer por causa daquele cigarro que nunca largava."

Luiz Carlos Barreto disse que a morte de Coutinho "foi uma perda enorme não só para o cinema brasileiro, mas para o mundial. Ele foi um documentarista respeitado no mundo inteiro. Modernizou a linguagem dramatúrgica com profundidade de análise e não apenas com registro."

O ator Lázaro Ramos disse que "conhecia o Coutinho de convivência, com o trabalho". "Foi uma tragédia, uma fatalidade", afirmou. "Perdemos um sábio."

O ator João Miguel se disse abalado. "Vai deixar muita saudade, mas também muita inspiração. Um homem como o Eduardo não é só documentarista. Ele é um dos maiores cineastas inventivos do Brasil."

A cantora Adriana Calcanhoto disse que ser fã do diretor. "Não tenho palavras. Conhecia ele um pouco, assistia aos filmes e adorava tudo", afirmou. "Ele fazia cinema de um jeito só dele."

O escritor Ferreira Gullar afirmou que Coutinho fazia parte de uma geração "muito criativa'. "Seu legado, é claro, são seus filmes, e a capacidade de, como ele mesmo dizia, apresentar as pessoas."

Leia tudo sobre: eduardo coutinhocinema

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas