"Sobrenatural: Capítulo 2" dá alguns sustos, mas não consegue superar original

Por Fernando Antonialli , do iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Também responsável por "Invocação do Mal", diretor James Wan mostra habilidade para criar suspense

O diretor James Wan é um dos grandes responsáveis pelo cinema de terror ter funcionado tão bem em 2013. Pouco mais de dois meses depois do lançamento do sucesso "Invocação do Mal", tido como o filme "mais assustador do ano", o malaio retorna com "Sobrenatural: Capítulo 2". Mas, desta vez, os sustos e o suspense não foram suficientes para superar o original de 2010.

Imagem do filme 'Sobrenatural: Capítulo 2'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Sobrenatural: Capítulo 2'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Sobrenatural: Capítulo 2'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Sobrenatural: Capítulo 2'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Sobrenatural: Capítulo 2'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Sobrenatural: Capítulo 2'. Foto: Divulgação

"Sobrenatural: Capítulo 2" retoma o estilo utilizado por Wan para assustar as plateias de três anos atrás. Longas cenas que criam a tensão para um clímax que nem sempre acontece da maneira esperada. Aparições repentinas voltam a tomar a tela, e funcionam tão bem quanto da primeira vez. Mas o novo filme não traz muitas novidades para a franquia.

O filme retoma os acontecimentos exatamente onde pararam em 2010. Depois de ir a um lugar habitado somente por espíritos, conhecido como "O Além", para salvar seu filho, Josh (Patrick Wilson) retorna para matar a invetigadora paranormal que estava ajudando a família. Então, Renai (Rose Byrne), ao descobrir o cadáver, é assombrada pela dúvida: foi seu marido quem voltou ou outra coisa?

Crítica: "Invocação do Mal" transforma fórmula desgastada em sustos originais

"Sobrenatural: Capítulo 2" pode ser dividido em três narrativas. Na primeira, Renai vai percebendo, aos poucos, que os espíritos não pararam de assombrar a família mesmo depois da volta do filho do "Além". Enquanto isso, Josh vai demonstrando, gradualmente, que não é o mesmo, e sim uma versão mais insana e violenta. 

Divulgação
Imagem do filme 'Sobrenatural: Capítulo 2'

Já a terceira linha narrativa vem para unir as três no final do filme. Nela, Lorraine (mãe de Josh, interpretada por Barbara Hershey) - já convencida da presença dos fantasmas - busca novamente a ajuda da equipe de paranormais do primeiro filme.

Aqui, Wan mostra tanto sua habilidade em mesclar o terror à comédia com diferentes direções de câmera, quando apresenta cenas gravadas em estilo documental, como em "Bruxa de Blair" (1999).

Siga o iG Cultura no Twitter

O que faz de "Sobrenatural: Capítulo 2" interessante acaba também limitando o filme. No melhor estilo de "Halloween" 1 e 2 (1978 e 1981), original e sequência estão em constante diálogo. Cenas e mistérios do primeiro filme aparecem bem amarradas no roteiro do segundo, fazendo com que o público só tenha a experiência completa da franquia ao assistir aos dois longas.

Porém, o que enfraquece o novo capítulo é a falta de novidades. O horror e a tensão são tão fiéis aos de 2010 que, por vezes, preparam o público para os sustos. Wan, que vem conseguindo com sucesso renovar as fórmulas desgastadas do cinema de terror, esbarra aqui em um obstáculo a ser superado: realizar uma sequência que ao mesmo tempo mantenha a qualidade do original e renove a franquia.


Leia tudo sobre: sobrenaturalcapítulo 2james wanterror

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas