Filmes para adolescentes têm mais violência do que os para adultos, diz estudo

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Pesquisa de universidades norte-americanas avaliou maiores bilheterias de Hollywood em 2012

Entre os filmes hollywoodianos de maior faturamento em 2012, os indicados para adolescentes tinham mais cenas de violência com armas de fogo do que os destinados a adultos, revelou um estudo publicado nesta segunda-feira (11).

Nos três últimos anos, a quantidade de violência em filmes indicados para adolescentes (conhecidos nos EUA como PG-13) e em filmes para maiores (classificação R) tinha sido a mesma.

O estudo é realizado pelo Centro Annenberg de Políticas Públicas da Universidade da Pensilvânia e pela Universidade Estadual de Ohio.

Divulgação
Daniel Craig em '007 - Operação Skyfall'

A classificação PG-13 indica aos pais que o filme pode ser inadequado para menores de 13 anos. A classificação R libera o filme para maiores de 17 anos, ou para menores acompanhados por um responsável.

Todos os sete filmes de maior bilheteria em 2012 estavam na faixa PG-13, e cinco deles eram longas-metragens de ação com cenas violentas, caso de "Operação Skyfall", mais recente aventura de 007, e de filmes com super-heróis, como "Os Vingadores", "Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge" e "O Espetacular Homem-Aranha".

O estudo não discute as razões pelas quais os filmes PG-13 estariam mais violentos. O debate sobre os efeitos disso voltou a ganhar força em 2012, depois de um massacre a tiros dentro de um cinema do Colorado em que se exibia o filme do Batman.

Uma análise dos 945 filmes de maior bilheteria desde 1950 mostra que as cenas de violência mais do que duplicaram nesse período, segundo o estudo publicado na revista "Pediatrics".

Siga o iG Cultura no Twitter

Os autores também observam que quando a classificação PG-13 foi criada, em 1984, a incidência da violência armada nesse tipo de filme era mais semelhante à que é vista em filmes da categoria PG e G, voltados ao público infantil.

"É perturbador que filmes PG-13 estejam tão cheios de violência armada", disse em nota Dan Romer, coautor do estudo e diretor do Instituto de Comunicação do Adolescente do Centro Annenberg. "Sabemos que os filmes ensinam às crianças a forma como os adultos se comportam, e eles fazem o uso de armas parecer excitantes e atraentes."

Os autores do estudo concluem que as descobertas "sugerem que a presença de armas nos filmes poderia amplificar os efeitos (sobre os jovens) de filmes violentos sobre a agressividade".

O estudo incluiu desenhos animados e não levou em conta a mensagem, positiva ou negativa, por trás da violência armada. A classificação dos filmes cabe à entidade setorial Motion Picture Association of America, que reúne estúdios de cinema.

Com Reuters

Leia tudo sobre: cinemahollywoodviolência

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas