Em carta a ator que o interpreta, Assange desqualifica filme sobre WikiLeaks

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Criador do site elogia talento de Benedict Cumberbatch, mas critica longa "O Quinto Poder"

Reuters

O criador do site WikiLeaks, Julian Assange, redigiu uma carta aberta ao ator britânico Benedict Cumberbatch, que o interpreta em um filme ainda inédito, na qual elogia o talento do ator, mas o critica por se envolver no longa-metragem e rejeita um convite para conhecê-lo.

Assange, atualmente refugiado na Embaixada do Equador em Londres, escreveu a carta com data de 15 de janeiro, mas o WikiLeaks só a divulgou na quarta-feira (9), nove dias da estreia norte-americana de "O Quinto Poder", do estúdio DreamWorks, ligado à Disney.

Benedict Cumberbatch e Daniel Brühl em cena de 'O Quinto Poder'. Foto: DivulgaçãoBenedict Cumberbatch como Julian Assange em  'O Quinto Poder'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'O Quinto Poder'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'O Quinto Poder'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'O Quinto Poder'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'O Quinto Poder'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'O Quinto Poder'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'O Quinto Poder'. Foto: Divulgação

Na carta, Assange diz ter "apreço" por trabalhos anteriores de Cumberbatch, e acrescenta: "Acho que eu gostaria de conhecê-lo." No entanto, diz que o ator deveria se dissociar do filme. "Não acredito que ele será positivo para mim ou para as pessoas com as quais me importo."

"Sei que o filme pretende retratar a mim e ao meu trabalho sob uma luz negativa. Acredito que ele irá distorcer os fatos e diminuir a compreensão do público. Ele não busca simplificar, esclarecer ou destilar a verdade, e sim sepultá-la. Ele irá ressuscitar e amplificar as histórias difamatórias que foram há muito demonstradas como falsas."

Siga o iG Cultura no Twitter

O enigmático fundador do WikiLeaks rejeitou o convite de Cumberbatch para conhecê-lo antes da filmagem. "Acredito que você está bem intencionado, mas certamente você consegue ver por que é uma má ideia. Ao me reunir com você, eu validaria esse filme desprezível, e daria meu aval à atuação talentosa, mas imoral, que o roteiro o obrigará a fazer."

AP
Julian Assange, fundador do WikiLeaks, fala a partir de varanda na Embaixada do Equador em Londres (20/12)

Assange também observou que "o vínculo que se desenvolve entre um ator e um personagem vivo é significativo", e que Cumberbatch e Assange ficarão "para sempre correlacionados na imaginação do público" por causa disso. "Nossos caminhos serão para sempre entrelaçados."

Em nota à imprensa divulgada pelo WikiLeaks junto com a carta, o grupo diz que Cumberbatch respondeu a Assange num email "cortês e considerado".

No filme, Cumberbatch, de 37 anos, dá vida a um Assange rude, estranho e desmazelado. O filme é parcialmente baseado em um livro sobre Assange lançado em 2011 por seu ex-colaborador Daniel Domscheit-Berg.

Assange, um ex-hacker australiano de 42 anos, pediu asilo ao Equador para escapar do risco de ser extraditado da Grã-Bretanha para a Suécia, onde é suspeito de crimes sexuais.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas