Kubrick, Scola, filmes ao ar livre e ciclo coreano são destaques da Mostra de SP

Por Luísa Pécora , iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Festival de cinema paulistano exibe cerca de 370 produções nacionais e estrangeiras entre 18 e 31 de outubro; veja preços de ingressos e pacotes

Filmes ao ar livre, retrospectivas de Stanley Kubrick e Eduardo Coutinho, um ciclo dedicado ao cinema da Coreia do Sul e o novo longa do consagrado diretor italiano Ettore Scola são alguns dos destaques da 37ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, que acontece de 18 a 31 de outubro.

Divulgação
O pôster da Mostra 2013, com arte de Christiane Kubrick

Parte da programação foi revelada neste sábado (4) pela diretora da Mostra, Renata de Almeida, que liderou a seleção de cerca de 370 filmes entre os quase 1,5 mil inscritos.

"O cinema vai muito bem", opinou Renata, que se mostrou especialmente animada quanto às exibições ao ar livre. "Estas sessões com orquestra mexem muito com a cidade."

Siga o iG Cultura no Twitter

Um dos grandes momentos da Mostra promete acontecer no dia 1o, data do encerramento oficial, quando "O Circo", de Charlie Chaplin, será exibido no Vale do Anhangabaú, com acompanhamento da orquestra do Teatro Municipal.

Além disso, o clássico alemão "Nathan, o Sábio", de Manfred Noa, será exibido no Parque do Ibirapuera, com acompanhamento da Orquestra Petrobras Sinfônica, que executará trilha sonora composta pelo libanês Rabih Abou-Khalil.

O Vão Livre do Masp também exibirá uma série de filmes relacionados ao tema "Cidade: modos de fazer, modos de usar", numa parceria com a Bienal de Arquitetura. Entre os títulos exibidos estão desde "Sinfonia da Metrópole", de 1929, a "Ensaio Sobre a Cegueira", de 2008.

Títulos confirmados

Como em todos os anos, a programação da Mostra inclui longa lista de filmes exibidos e/ou premiados em festivais internacionais, a começar pelo longa de abertura, "Inside Llewyn Davis", dos irmãos Joel e Ethan Coen, sucesso em Cannes.

Leia também: Filme dos irmãos Coen abrirá Mostra 2013

Outros títulos premiados no festival francês que estarão na Mostra são "Pais e Filhos", de Hirokaru Kore-Eda; "Um Toque de Pecado", de Jia Zhang-Ke; "Ilo Ilo", de Anthony Chen; e "La Jaula de Oro", de Diego Quemada.

Também são destaques "Cães Errantes", de Tsai Ming Liang, grande prêmio do júri em Veneza; "Child's Pose", de Calin Peter Netzer, Urso de Ouro no Festival de Berlim; e "Tom na Fazenda", de Xavier Dolan, exibido em Toronto e Veneza.

Divulgação
Filme de Ettore Scola emocionou público do Festival de Veneza

O encerramento ficará por conta do novo filme de Scola, "Que Estranho Chamar-se Federico - Scola Conta Fellini", que terá três exibições em 31 de outubro - dia em que a morte de Fellini completa 20 anos.

Ao lado de Hector Babenco, Scola será homenageado com o prêmio Leon Cakoff pelo conjunto da obra. Aos 82 anos, o italiano não costuma viajar, mas Renata de Almeida mantém a esperança de trazê-lo ao festival. "Quem sabe a gente consegue convencê-lo", disse.

Filmes nacionais

O cinema nacional estará representado na Mostra com mais 80 longas-metragens, incluindo os inéditos "Rubem Braga: Olho as Nuvens Vagabundas", de André Weller, "Vida", de Tatiana Villela, e "Estação Liberdade", de Caito Ortiz, todos integrantes da competição Novos Diretores.

Títulos exibidos em outros festivais do País também estarão na Mostra, como "Amor, Plástico e Barulho", de Renata Pinheiro; "Avanti Popolo", de Michael Wahrmann; "Depois da Chuva", de Cláudio Marques e Marília Hughes; "Entre Nós", de Paulo Morelli; e "Tatuagem", de Hilton Lacerda.

Walter Craveiro/Divulgação
Eduardo Coutinho na Flip 2013

O cinema nacional também ganha destaque na retrospectiva do cineasta Eduardo Coutinho, um dos melhores do País, que aos 80 anos escolheu pessoalmente os títulos a serem mostrados. A seleção inclui sua produção ficcional e documental e o curta "Porrada" (2000), que será exibido antes de todas as sessões da retrospectiva - também a seu pedido.

Stanley Kubrick e Lav Diaz

As duas outras retrospectivas serão dedicadas a cineastas internacionais. Além de ter seus principais filmes exibidos, Kubrick será tema de uma exposição no Museu da Imagem e do Som, que ficará aberta ao público de 11 de outubro a 12 de janeiro.

Leia também: Stanley Kubrick terá retrospectiva na Mostra de SP

A Mostra também receberá o crítico francês Michel Ciment, que lançará o livro "Conversas com Kubrick"; Jan Harlan, braço direito do diretor; e Christiane Kubrick, a viúva, autora da bela imagem do cineasta no set de "Barry Lyndon" que ilustra o pôster e a vinheta da Mostra deste ano.

Veja a vinheta da Mostra 2013:

A terceira homenagem é ao filipino Lav Diaz, que terá 12 filmes exibidos no festival, entre eles "Norte, o Fim da História", "Melancholia", "Morte na Terra dos Encantos" e "Nu Sob o Luar".

"Kubrick é um sucesso garantido, mas a função da Mostra não é só ir no caminho do consagrado", disse Renata. "Acho importante apresentar a retrospectiva de um diretor (Diaz) que faz um cinema mais radical e que não chega ao circuito comercial."

O filipino também fará parte do júri de ficção, ao lado do cineasta ucraniano Sergei Loznitsa, o produtor austríaco Hans Weingartner; o fotógrafo e cineasta uruguaio radicado no Brasil César Charlone; e a diretora brasileira Monique Gardenberg.

Cinema asiático

A presença de Diaz é um dos sinais da grande atenção que a Mostra deste ano dará ao cinema asiático. A Coreia do Sul é o principal foco do festival, que selecionou principalmente trabalhos de novos diretores do país, como Jung Byung-gil e Jang Kun-jae.

Mas a Mostra também receberá um dos nomes mais consagrados do cinema sul-coreano: Park Chan-wook, o celebrado diretor de "Old Boy".

Além disso, serão realizados um fórum de debates e a assinatura de um termo de intenção de coprodução entre Brasil e Coreia do Sul.

A China é outro país asiático bem representado na Mostra, com nove filmes incluídos na programação, entre eles "O Grande Mestre", de Wong Kar Wai, e "Preso na Rede", de Chen Kaige.

Manifestações

Questionada sobre se existe algum temor quanto à possibilidade de manifestações forçarem alterações na programação da Mostra, como aconteceu recentemente no Festival do Rio, Renata disse que sim. Porém, a diretora não vê "muito o que fazer".

"A Mostra é uma manifestação também, pois tem várias ideias e pontos de vista. Todos temos direitos de nos manifestar, mas não podemos impedir a manifestação dos outros", afirmou. "Espero que nos deixem nos manifestar para o bem."

A Central da Mostra começa a funcionar no Conjunto Nacional (Avenida Paulista, 2.073) em 7 de outubro e a venda de pacotes e permanentes será aberta no dia 12. Veja abaixo informações sobre preços:

Pacotes e permanentes:

Permanente Integral: R$ 410
Permanente Integral Folha: R$ 348,50
Permanente Especial (para sessões de 2ª a 6ª feira até às 17:55h): R$ 95
Permanente Especial Folha: R$ 80,75
Pacote de 40 ingressos: R$ 300
Pacote de 20 ingressos: R$ 175

Ingressos individuais:

Segundas, terças, quartas e quintas: R$ 15 (inteira) / R$ 7,50 (meia)
Sextas, Sábados e Domingos: R$ 19 (inteira) / R$ 9,50 (meia)

* Para adquirir ingressos no dia da sessão, somente nas salas de cinema.

* A Central da Mostra não vende ingressos avulsos, apenas os pacotes.

* No site Ingresso.com, a entrada poderá ser adquirida com antecedência de quatro dias a um dia da sessão.

Leia tudo sobre: cinemastanley kubrickettore scolaigspmostra de são paulo

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas