Na coméida em cartaz nos cinemas, o ator interpreta vendedor de relógio que tenta emprego no Google

Vince Vaughn é mais conhecido por seus trabalhos como ator, mas se aventura de vez em quando como roteirista. Ele já tinha assinado “Encontro de Casais” (2009) e bolado a história de “Separados pelo Casamento” (2006) – ambos sobre relacionamentos em crise – e agora vem com " Os Estagiários" , sobre uma crise ainda maior, a econômica.

Dirigido por Shawn Levy, “Os Estagiários” volta a reunir Vaughn com seu amigo Owen Wilson. “Eu adoro Owen, ele me faz rir. É bom gostar da pessoa com quem está trabalhando’, disse em mesa-redonda com participação do iG , em Los Angeles.

Vaughn é Billy McMahon, e Owen Wilson, Nick Campbell, dois vendedores experientes de relógios de pulso, dispensados pelo chefe pois ninguém mais usa relógios de pulso. É como se tivessem ficado obsoletos como os objetos que negociavam. “O filme fala sobre como a vida pode te maltratar, mas também como você lida com isso”, afirma o ator.

Crítica: "Os Estagiários" se apoia no carisma dos atores

O ator Vince Vaughn
Getty Images
O ator Vince Vaughn

Sem habilidade muito específicas, os personagens resolvem tentar uma solução bem criativa: estagiar numa empresa de tecnologia moderna, no caso, o Google. “São lugares de oportunidades, em que o ambiente de trabalho é alegre. É um grande contraste com as pessoas que estão perdendo o emprego, apesar de os garotos não verem o mundo de maneira muito otimista”, disse. Essa é uma das fontes de conflito – e de graça – na comédia.

Siga o iG Cultura no Twitter

Para Vaughn, a atual geração tem uma mentalidade diferente de seus ancestrais imigrantes. “O sonho americano tinha a ver com vir, trabalhar duro e se dar bem. Agora as pessoas esperam ganhar as coisas de graça.”

O ator trabalhou em telemarketing e como salva-vidas antes de fazer sucesso em Hollywood. “Venho de uma família de imigrantes, então eu sei que tenho sorte de fazer o que gosto de fazer. Nunca foi um conceito para meus familiares que um trabalho pudesse ser divertido.”

Mas ele também não acredita muito na história vendida durante anos de que a carreira sempre vem em primeiro lugar. “Nunca vivi para trabalhar, sempre trabalhei para viver. Minha família é muito importante para mim.”

Vince Vaughn acha que sua profissão – ele se define como um contador de histórias – nunca vai ficar obsoleta. “Mas não sei em que formato vai existir, e acho isso empolgante. A tecnologia em geral vem para democratizar. Mas as gerações mais velhas sempre acham que os mais novos não estão fazendo certo. As pessoas têm medo de mudanças.”

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.