Para diretor de "Se Puder...Dirija!", uso de 3D deixa comédia mais engraçada

Por Luísa Pécora , iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Em vídeo, Paulo Fontenelle e a atriz Bárbara Paz falam sobre filme que estreou nesta sexta-feira (30)

Quando recebeu a proposta de dirigir "Se Puder...Dirija!", primeiro filme brasileiro de live action em 3D, o cineasta Paulo Fontenelle hesitou, mas decidiu topar o desafio. 

"O que acho legal do 3D é usá-lo a favor da dramaturgia, não só a favor dos efeitos", afirmou, em entrevista ao iG. "Tem situações que ficam mais engraçadas ainda porque são em 3D."

Veja a entrevista com Paulo Fontenelle e Bárbara Paz:

Em "Se Puder...Dirija!",  Luiz Fernando Guimarães é João, um manobrista boa praça que decide se reaproximar do filho de cinco anos (Gabriel Palhares). Chamado às pressas ao trabalho, ele pega o carro de uma cliente do estacionamento (Bárbara Paz) para buscar o menino na casa da ex-mulher (Lavínia Vlasak). No caminho, enfrenta uma tentativa de assalto, atropela um ciclista, entre outras adversidades.

Siga o iG Cultura no Twitter

"O espectador vai se dar conta do 3D nos momentos em que ele está muito claro. Mas prefiro os momentos em que ele ajuda na dramaturgia, de uma maneira que o espectador está dentro da cena e tem uma percepção diferente do que se estivesse vendo em 2D", disse Fontenelle.

VÍDEO: VEJA ENTREVISTA COM LUIZ FERNANDO GUIMARÃES

Imagem do filme 'Se Puder...Dirija!'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Se Puder...Dirija!'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Se Puder...Dirija!'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Se Puder...Dirija!'. Foto: Davi de Almeida / DivulgaçãoImagem do filme 'Se Puder...Dirija!'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Se Puder...Dirija!'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Se Puder...Dirija!'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Se Puder...Dirija!'. Foto: Davi de Almeida / Divulgação

Utilizar a tecnologia representou alguns desafios para a equipe de "Se Puder...Dirija!", que trouxe dois profissionais dos Estados Unidos ao Brasil e participou de workshops. 

"Tem pegadinhas bem complicadas, como o fato de as duas câmeras de 3D precisarem ter a mesma vida útil, ser do mesmo lote e com o mesmo tipo de sensor", contou.

Embora goste da produção de comédia no Brasil, Fontenelle acredita que "Se Puder...Dirija!" se diferencia ao focar no laço entre pai e filho. "Espero que público e crítica tenham a sensação de que estamos trazendo uma história que é comédia, mas tem uma beleza, uma poética", afirmou.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas