Para diretora de "Bling Ring", trilha sonora é parte fundamental da narrativa; vídeo mostra melhores momentos musicais da carreira

No momento em que escreveu a cena de abertura de "Bling Ring - A Gangue de Hollywood" , a diretora Sofia Coppola ouvia a barulhenta canção "Crown on the Ground", da dupla norte-americana Sleigh Bells. Durante as filmagens do longa sobre uma turma de jovens que assaltava casas de celebridades, colocou a música para tocar no set e inspirar o elenco.

Leia também: Em "Bling Ring", Sofia Coppola discute vazio das celebridades

Como em todos os filmes da diretora, a música não é mero acessório em "Bling Ring". Na carreira de Coppola, canções de artistas como Air, Jesus and Mary Chain e Strokes se transformaram em parte fundamenal da história - por vezes a melhor e mais clara expressão de personagens que dizem muito pouco.

O iG selecionou os melhores momentos musicais dos filmes de Copolla - do longa-metragem de estreia, "As Virgens Suicidas" (1999), a "Bling Ring", que estreou nesta sexta-feira (16).

Veja o vídeo e leia sobre a trilha sonora de cada filme:

"As Virgens Suicidas" (1999):  Marcou o início da parceria de Coppola com Brian Reitzell, que trabalharia como supervisor musical em vários de seus filmes. Reitzell serviu como ponte entre a diretora e o grupo francês Air, que foi sua principal trilha sonora durante o desenvolvimento do roteiro. É do Air a canção "Playground Love", que toca em um dos momentos mais decisivos da história e ajuda a construir o clima melancólico e trágico que dá tom ao filme.

"Encontros e Desencontros" (2003):  Com nova canção do Air ("Alone in Tokyo") e várias do My Bloody Valentine, um dos preferidos de Coppola, a trilha sonora de "Encontros e Desencontros" reflete a solidão dos protagonistas: um ator decadente (Bill Murray) e uma jovem e entediada recém-casada (Scarlett Johansson) que se cruzam em Tóquio. Os momentos mais marcantes são ao som de "Just Like Honey", do Jesus and Mary Chain, e "More Than This", o hit do Roxy Music que ganhou versão cantada pelo próprio Murray durante cena em um karaokê.

Sofia Coppola apresenta 'The Bling Ring' em Cannes
AP
Sofia Coppola apresenta 'The Bling Ring' em Cannes

"Maria Antonieta" (2006):  Ao contar a história da icônica rainha da França, Coppola se concentra em sua adolescência, quando se casou e assumiu o trono. Apesar da ambientação histórica, a diretora optou por uma trilha sonora totalmente fora de época, com muito new wave. Entre os destaques estão "Ceremony", do New Order, e "I Want Candy", do Bow Wow Wow, talvez a que melhor captura a vida de luxo e extravagância da jovem rainha.

Leia também: Por trás das câmeras, mulheres lutam por oportunidades iguais

"Um Lugar Qualquer" (2010):  É o filme de Coppola com maior envolvimento do marido Thomas Mars, vocalista da banda francesa Phoenix - que tem músicas na trilha sonora, assim como Police e Foo Fighters. Duas cenas são especialmente comoventes ao mostrar a reaproximação de um ator de Hollywood e pai ausente (Stephen Dorff) e a filha adolescente (Elle Fanning): a que a menina patina no gelo ao som de "Cool", de Gwen Stefani, e a tarde que os dois passam juntos com "I'll Try Anything Once" do Strokes ao fundo.

"Bling Ring - A Gangue de Hollywood" (2013): A trilha sonora do filme mais recente é bem atual e inclui muito rap e hip hop. O objetivo era envolver o público com canções que os personagens ouviriam - cheias de energia e boas para dançar. Além de "Crown on the Ground", ganham destaque "Bad Girls", de M.I.A, e "212", de Azealia Banks.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.