"Não filmamos caricaturas", diz Pedro Vasconcelos, diretor de "O Concurso"

Por Susan Souza , iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Filme marca estreia de Sabrina Sato em longas-metragens; Fabio Porchat e Danton Mello também estão no elenco

Guilherme Maia/Divulgação
Sabrina Sato estreia nos cinemas com o filme "O Concurso"

A acirrada seleção para conseguir uma vaga no cargo público de juiz federal é mostrada com pitadas de nonsense e bizarrices em "O Concurso", primeiro longa do diretor Pedro Vasconcelos, experiente em dirigir novelas como "Escrito nas Estrelas" e "Morde e Assopra". "(O filme) se assemelha a tantos filmes de comédia que mostram dramas de grupos que se envolvem em confusões", conta Pedro em entrevista. O longa estreia em circuito nacional nesta sexta-feira (19).

Siga o iG Cultura no Twitter

Ao trabalhar com quatro estereótipos que o diretor define como "tipos brasileiros", Vasconcelos espera que as pessoas se divirtam com as marcas de cada um. "Não existe uma caricatura, uma forma grosseira ou que critique o jeito da pessoa de ser, muito pelo contrário. Trabalhamos os personagens de uma forma muito humana. Queríamos criar personagens de verdade, pessoas que existissem, que o público reconhecesse e pudesse embarcar na história."

Sabrina Sato estreia nos cinemas com o filme "O Concurso". Foto: Guilherme Maia/DivulgaçãoOs atores Rodrigo Pandolfo, Anderson Di Rizzi, Fabio Porchat e Danton Mello. Foto: DivulgaçãoSabrina Sato interpreta Martinha Pinel. Foto: DivulgaçãoBernardinho e Martinha em "O Concurso". Foto: DivulgaçãoFabio Porchat interpreta o gaúcho Rogério Carlos. Foto: DivulgaçãoO nerd Bernardinho veio da cidade de Piraporinha. Foto: DivulgaçãoRogério Carlos vive uma transformação. Foto: DivulgaçãoCena do filme "O Concurso". Foto: DivulgaçãoCenas do filme "O Concurso". Foto: DivulgaçãoCenas do filme "O Concurso". Foto: DivulgaçãoCenas do filme "O Concurso". Foto: DivulgaçãoCenas do filme "O Concurso". Foto: DivulgaçãoAnderson Di Rizzi é o cearense Freitas. Foto: DivulgaçãoCenas do filme "O Concurso". Foto: DivulgaçãoCenas do filme "O Concurso". Foto: DivulgaçãoDanton Mello interpreta o carioca Caio. Foto: DivulgaçãoCarol Castro é Mariana, mulher do candidato Freitas. Foto: DivulgaçãoMariana e Freitas. Foto: DivulgaçãoCenas do filme "O Concurso". Foto: Divulgação

O diretor nega que tenha se inspirado na trilogia de humor "Se Beber não Case", cuja trama possui semelhança pela temática de grupo masculino em apuros. Com orçamento de R$ 5 milhões e 30 dias de filmagens, "O Concurso" faz comédia com estereótipos e lança a apresentadora Sabrina Sato nos cinemas. "A Sabrina é puro carisma. Ela jamais parou uma improvisação, encarou tudo com muita segurança. A palavra (para ela) é disponibilidade", disse o ator Rodrigo Pandolfo, que contracena com a atriz estreante.

Em "O Concurso", quatro candidatos chegam ao Rio de Janeiro para fazer a etapa final de uma prova para juiz federal. Rogério Carlos (Fabio Porchat) é um gaúcho pressionado pelo pai para mostrar virilidade em tempo integral, Bernardo (Rodrigo Pandolfo) é um nerd virgem do interior de São Paulo, Caio (Danton Mello) é um malandro carioca e Freitas (Anderson Di Rizzi) é um cearense fanático por santidades e todo tipo de mandinga.

Divulgação
Gigante Léo, o Polegada

As confusões começam quando os quatro aceitam a proposta de Caio para conseguir o gabarito da prova. Para isso, eles precisam subir o morro e lidar com as situações que surgem a partir de conflitos de gangues - além disso, Caio leva o grupo a uma série de problemas.

Um destaque do núcleo do morro vai para o anão Polegada, criminoso interpretado pelo ator Gigante Léo. Mariana (Carol Castro) é a recatada esposa de Freitas, cuja devoção e seriedade se contrapoem ao apelo sexual de Martinha Pinel, personagem de Sabrina Sato.

"O estereótipo dos personagens são marcas, com exceção do gaúcho, que é uma brincadeira mais larga", explica o diretor Pedro Vasconcelos. "O cearense que é apegado à fé é uma brincadeira com a forma geral das pessoas de ser. O menino do interior de São Paulo, que é tímido e mais fechado, e o carioca, que se envolve, é malandro. São tipos que estão aí em nosso País".

Leia tudo sobre: O Concursofilmecinema nacionalestreia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas