Exagero, cores, mulheres fortes: as marcas do cinema do espanhol Pedro Almodóvar

Por Luísa Pécora , iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Veja quais elementos são típicos da filmografia do diretor de "Os Amantes Passageiros"

"Os Amantes Passageiros", que estreou na sexta-feira (28) no Brasil, marca a volta do cineasta espanhol Pedro Almodóvar à comédia, gênero que o lançou em Hollywood.

AP
Pedro Almodóvar apresenta 'Os Amantes Passageiros' no Festival de Los Angeles

Foi o cômico "Mulheres À Beira de Um Ataque de Nervos", de 1989, que chamou a atenção para o talento do diretor que depois ganharia o Oscar com os dramas "Tudo Sobre Minha Mãe" (1998) e "Fale Com Ela" (2002).

Siga o iG Cultura no Twitter

Engraçados ou tristes, os filmes de Almodóvar carregam algumas marcas, como personagens femininos fortes, cores vibrantes e a discussão de temas tabus.

Veja as principais características do cinema de Almodóvar.

Exagero

Os filmes de Almodóvar são marcados por um exagero que se revela tanto na estética quanto na trama. As cenas do diretor espanhol costumam ser "kitsch", com cenários e figurinos coloridos e cheios de referência à pop art. A extravagância visual carrega um ar de paródia que combina com o humor negro do cineasta.

Ao mesmo tempo, Almodóvar tem um claro gosto pelo melodrama, criando histórias que apelam às emoções do espectador e são marcadas por elementos trágicos (assassinato, morte, traição, obsessão, vício em drogas) e protagonistas que enfrentam grandes obstáculos.

Um dos líderes do movimento cinematográfico que ganhou força após o fim da ditadura de Francisco Franco (1936-1975), Almodóvar se dedicou a explorar temas considerados tabus, como corrupção, homossexualidade, prostituição e sexo. 

Divulgação
Em 'Fale Com Ela', dois homens se tornam amigos enquanto cuidam das mulheres que amam - ambas em coma


Cores

Uma das características mais marcantes dos filmes de Almodóvar é o visual vibrante e cheio de cor. O diretor está sempre atento para que papéis de parede, armários, móveis e roupas mostrados em cena sejam sempre bem coloridos. 

"Todas as luzes, cores, cenário e figurinos representam elementos na narrativa, na história que estou contando. É claro que quero que meus filmes sejam bonitos, mas cada elemento é escolhido por uma razão", disse o diretor, em entrevista ao jornal "The Telegraph".

Chama a atenção, principalmente, o uso de vermelho. "É uma cor muito significativa. Na Espanha, representa ódio, amor, fogo, sangue. No Japão, é a cor dos condenados à morte. Então, é a cor da humanidade", afirmou ao "The Guardian".

Divulgação
Em sentido horário: muitas cores em 'Kika', 'Tudo Sobre Minha Mãe', 'Abraços Partidos' e 'Volver'




Mulheres fortes

Ao longo da carreira, Almodóvar inseriu personagens femininos fortes em seus filmes, como fica claro na comédia "Mulheres À Beira de um Ataque de Nervos".

Muitas vezes elas são vítimas de abusos sexuais (como em "Ata-me" e "Kika") e quase sempre são sobreviventes, mulheres que superaram tragédias e traições. Os longas do diretor espanhol também mostram fortes relações femininas, sejam de amizade ou familiares.

Em "A Flor do Meu Segredo", a personagem principal, Leo, recorre à mãe e à irmã quando enfrenta problemas profissionais e no casamento. "Tudo Sobre Minha Mãe" e "Volver" têm mulheres que ajudam umas às outras em momentos de dificuldade.

Divulgação
Em sentido horário: personagens femininas (e muito vermelho) em "Tudo Sobre Minha Mãe", "Mulheres À Beira de Um Ataque de Nervos", "Volver" e "A Flor do Meu Segredo"


Atores repetidos

Almodóvar é famoso por trabalhar várias vezes com os mesmos atores e pode ser considerado peça-chave na carreira de estrelas como Antonio Banderas e Penélope Cruz, que fazem participações pequenas em "Os Amantes Passageiros".

Banderas integrou o elenco de "Labirinto das Paixões", "Matador", "A Lei do Desejo", "Mulheres À Beira de um Ataque de Nervos", "Ata-me" e "A Pele que Habito". Penélope fez "Carne Trêmula", "Tudo Sobre Minha Mãe", "Volver" e "Abraços Partidos".

Outras duas queridinhas do diretor são Carmen Maura ("Pepi, Luci, Bom e Outras Garotas de Montão", "Maus Hábitos", "Que Fiz Eu Para Merecer Isto?", "Matador", "A Lei do Desejo", "Mulheres À Beira de um Ataque de Nervos", "Volver") e Marisa Paredes ("Maus Hábitos", "De Saltos Altos", "A Flor do Meu Segredo", "Tudo Sobre Minha Mãe", "Fale Com Ela", "A Pele que Habito"). Rossy de Palma e Victoria Abril também são figurinhas carimbadas.

Divulgação
Em sentido horário: Antonio Banderas, Marisa Paredes, Penélope Cruz e Carmen Maura, os queridinhos de Almodóvar

Personagens gays

Homossexual assumido, Almodóvar declarou que "Os Amantes Passageiros" é seu filme "mais gay" e o primeiro com personagens bem afeminados, um recurso para deixá-los mais engraçados. Mas personagens homossexuais, bisexuais e transexuais estão presentes em vários outros filmes do diretor.

"Labirinto de Paixões", por exemplo, é uma história de amor entre Riza, o filho gay de um imperador do Oriente Médio, e o pop star Sexi. Em "A Má Educação", Almodóvar mostra a trajetória de Ignacio e Enrique, amigos de infância que se apaixonam num colégio religioso nos anos 1960 e se reencontram anos depois.

Outro traço marcante da filmografia de Almodóvar é a forte relação de amizade entre seus dois principais "tipos": os gays e as mulheres. Isso fica evidente principalmente em "Tudo Sobre Minha Mãe", no qual a personagem principal, Manoela, perde o filho adolescente e conta com a ajuda da prostituta e travesti Agrado para encontrar o pai do jovem.

Divulgação
Em sentido horário: personagens gays em 'A Má Educação', 'Labirinto de Paixões', 'Tudo Sobre Minha Mãe' e 'Os Amantes Passageiros'


compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas