Heloísa Périssé: "Não se espera que a mulher seja engraçada"

Por Luísa Pécora , iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Em vídeo, atriz de "Odeio o Dia dos Namorados" fala sobre o bom momento para as mulheres humoristas e Marcelo Saback discute preconceito contra as comédias

Depois de Ingrid Guimarães estrelar "De Pernas Pro Ar", um dos maiores sucessos de público do cinema brasileiro, chegou a vez de Heloísa Périssé encabeçar o elenco de "Odeio o Dia dos Namorados", nova aposta da comédia nacional que estreou nesta sexta-feira (7).

Leia também: "Odeio o Dia dos Namorados" importa táticas de Hollywood

O bom momento profissional das duas atrizes de "Cócegas" é parte de um cenário favorável às mulheres humoristas, com destaque também para Dani Calabresa, Tatá Werneck e Clarice Falcão. “É muito bom que a mulher ganhe esse espaço, até porque o humor não é uma característica feminina, não é isso que se espera da mulher”, diz Périssé, em entrevista ao iG. “Homem nenhum fala 'pô, saí com uma engraçada ontem'. Fala que saiu com uma peituda, bunduda.”

Veja a entrevista com Heloísa Périssé e Marcelo Saback:

Em "Odeio o Dia dos Namorados", de Roberto Santucci, a atriz interpreta Débora, uma publicitária durona, odiada por todos à sua volta e que despreza qualquer tipo de romance. Após sofrer um acidente de carro, ela recebe a visita do espírito do melhor amigo, Gilberto (Marcelo Saback), que a leva ao passado e ao futuro para tentar amolecer seu coração.

Leia também - Clarice Falcão: "O mundo do humor é machista"

Saback é nome importante no boom de comédias nacionais, tendo assinado o roteiro de "Divã" e "Avassaladoras" e colaborando com Paulo Cursino nos dois "De Pernas Pro Ar". A frequente parceria, que também inclui Santucci, o levou a apelidar o grupo de "quadrilha.

"É uma parceria de ideias, em que um vai influenciando positivamente o trabalho do outro", afirma. "A possibilidade de um errar é grande, mas a de três errarem é menor."

Imagem do filme 'Odeio o Dia dos Namorados'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Odeio o Dia dos Namorados'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Odeio o Dia dos Namorados'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Odeio o Dia dos Namorados'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Odeio o Dia dos Namorados'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Odeio o Dia dos Namorados'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Odeio o Dia dos Namorados'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'Odeio o Dia dos Namorados'. Foto: Divulgação

O ator admite que a comédia ainda enfrenta dificuldades de ser aceita pela crítica e por parte do público que enxerga o gênero como um cinema menor. Mas, para ele, os bons filmes têm tramas que se sustentam independente da piada.

"A chave de tudo é achar uma boa história. Você pode tirar o humor, mas ela continua sendo uma boa história", opina. “Existe sim essa barreira do humor, esse preconceito, que eu acho uma bobagem. Com o humor a gente pode falar de temas relevantes, de qualquer ordem e de qualquer maneira. O humor ainda é a grande saída.”

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas