"Bonitinha, Mas Ordinária", que estreia nesta sexta-feira (24), é terceira versão do texto; veja outros filmes

A obra de Nelson Rodrigues volta aos cinemas nesta sexta-feira (24) com a terceira adaptação de "Bonitinha, Mas Ordinária" para as telonas. Após Billy Davis em 1963 e Braz Chediak em 1981, desta vez é Moacyr Góes quem conta a história de Edgar, homem ambicioso que recebe a proposta de se casar com uma jovem rica em troca de R$ 5 milhões.

Leia também: "Fazer sucesso no Brasil é quase um crime", diz Moacyr Góes

Entre as diversas adaptações, "Toda Nudez Será Gastigada", de Arnaldo Jabor, era a preferida de Rodrigues, segundo contou em entrevista à revista Filme Cultura em 1973. Na mesma conversa ele chamou "Meu Destino é Pecar", de Manuel Peluffo, de "ruim demais" e disse ter gostado de "Boca de Ouro", de Nelson Pereira dos Santos.

Veja as principais adptações da obra de Nelson Rodrigues para o cinema:

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.