iG compara: as duas versões do clássico  "A Morte do Demônio"

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Remake atualmente em cartaz nos cinemas muda o sexo do protagonista e adota tom mais sério do que o filme de 1981

Clássico de terror lançado em 1981, "A Morte do Demônio" entrou para a lista de filmes do gênero que ganharam refilmagem recente. O novo longa, que tem direção de Fede Alvarez e estreou no Brasil na sexta-feira (19), ousou fazer mudanças significativas na trama, sob o risco de provocar a ira dos fãs do original.

Leia também: Diretor uruguaio renova clássico do terror "A Morte do Demônio"

Imagem do filme 'A Morte do Demônio'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'A Morte do Demônio'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'A Morte do Demônio'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'A Morte do Demônio'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'A Morte do Demônio'. Foto: Divulgação

As alterações, porém, contaram com a benção de duas peças-chave do primeiro filme: o diretor Sam Raimi e o ator Bruce Campbell, que agora atuam como produtores do remake.

Abaixo, o iG compara os dois "A Morte do Demônio".

Filme b x superprodução: A primeira diferença brutal entre os filmes está no orçamento. O de 1981 custou apenas US$ 400 mil (R$ 805,8 mil), muito menos do que o novo, que teve orçamento de US$ 17 milhões (R$ 34,2 milhões). A recepção da crítica norte-americana foi boa nos dois casos, com vantagem para o original, que teve 98% de resenhas positivas contra 63% do longa de 2013, segundo o site especializado Rotten Tomatoes.

Divulgação
Cartaz promocional da versão original de "Evil Dead", de 1981

Terrir x terror: As limitações orçamentárias do primeiro "A Morte do Demônio" resultaram em uma série de cenas um tanto quanto toscas. Assim, embora seja assustador, o longa de 1981 também provoca risadas. O tom mudou bastante no remake, que deixou o humor de lado e investiu em um clima totalmente tenso e sombrio. Na crítica do jornal "The New York Times", Manohla Dargis lamentou que "A Morte do Demônio" não tenha "as más atuações, as roupas e os cabelos bufantes ou os divertidos efeitos especiais do original". 

Siga o iG Cultura no Twitter

Ash x Mia: Muitos fãs do original se revoltaram contra o remake ao saberem de um detalhe crucial: Bruce Campbell não retomaria o papel de Ash, protagonista tanto do "A Morte do Demônio" original como das duas sequências, lançadas em 1987 e 1992. Embora o novo longa também conte a história de cinco amigos que viajam para um cabana no meio do mato e começam a ser possuídos por espíritos do mal, os personagens mudaram e agora a ação gira em torno de Mia (Jane Levy).

Diversão x drama: Seguindo o tom mais sério do novo "A Morte do Demônio", foi feita uma alteração quanto ao motivo que leva o grupo de amigos à fatídica cabana. No primeiro filme, os jovens queriam apenas se divertir. No segundo, há uma questão grave em jogo: Mia, a protagonista, é viciada em drogas e a intenção da viagem é ajudá-la a se livrar do vício, como numa clínica de reabilitação.

Leia tudo sobre: a morte do demônioevil deadsam raimiterrorcinema

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas