Isabelle Huppert vive papel triplo na comédia "A Visitante Francesa"

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Novo filme do sul-coreano Hong Sang-soo brinca com a própria arte de fazer cinema ao mostrar as possibilidades narrativas do roteiro

Reuters

O cineasta sul-coreano Hong Sang-soo ("HAHAHA") é, guardadas as devidas proporções, uma espécie de Éric Rohmer de seu país. Seus filmes baseiam-se em narrativas construídas sobre detalhes, vidas de pessoas comuns em situações que beiram o banal e, a partir daí, se extrai algo de significado mais profundo.

Seu novo trabalho, "A Visitante Francesa", é protagonizado pela atriz francesa Isabelle Huppert, que vive três personagens diferentes, em três histórias.

O filme estreia em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Florianópolis.

Imagem do filme 'A Visitante Francesa'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'A Visitante Francesa'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'A Visitante Francesa'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'A Visitante Francesa'. Foto: DivulgaçãoImagem do filme 'A Visitante Francesa'. Foto: Divulgação

O trio de narrativas é amarrado por uma garota (Jung Yumi) que está escrevendo rascunhos de roteiros de cinema. Enquanto ela pensa, as histórias se materializam.

Isabelle é Anne -- um mesmo nome para três mulheres bem diferentes. A graça do artifício, mais do que os perfis distintos, está na interpretação da atriz, capaz de criar nuances e personalidades bem definidas para cada uma dessas mulheres.

O cenário também é o mesmo, um balneário, assim como alguns personagens -- o que muda são as situações. A primeira Anne é uma diretora de cinema que se hospeda próximo a um amigo ator (Kwon Hye Hyo) e sua mulher grávida (Moon So-Ri). Ele acaba dando em cima da francesa, que não se interessa por ele.

Em todas as histórias, Anne pede um guarda-chuva emprestado à vizinha (a própria Yumi), e sai à procura de um farol, um ponto turístico, e acaba encontrando um salva-vidas (Yu Jungsang), o melhor personagem do filme. Atrapalhado e divertido, ele também se apaixona por ela.

Siga o iG Cultura no Twitter

No segundo segmento, Anne é uma dona de casa ingênua, casada com um executivo. Ela viaja para o balneário para encontrar seu amante (Moon Sung-keun), um diretor de cinema. Essa Anne é avoada e romântica, além de atrapalhada. Ela perde o celular, encontrado pelo salva-vidas, e fica com medo de seu marido ligar e descobrir que não está em sua cidade.

Já a última Anne é uma professora que foi traída pelo marido, que a trocou por uma garota mais jovem. Ela viaja à Coréia do Sul com sua amiga (Yoon Yeo-jeong), e acidentalmente se envolve com o ator da primeira história, que acaba de conhecer, para desespero da mulher dele, e, mais tarde com o salva-vidas.

"A Visitante Francesa" é um filme, no fundo, sobre o cinema, sobre as possibilidades narrativas de que se vale um roteirista na hora de conceber sua trama, seus personagens. É também sobre as escolhas na vida. As opções de Anne em seu passado resultam em vidas e momentos diferentes em seu presente. É também sobre o choque cultural, algumas das cenas mais engraçadas envolvem a incapacidade da protagonista falar coreano.

Leia tudo sobre: CULTURAFILMEESTREIAA Visitante FrancesaIsabelle Huppert

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas