Ennio Morricone: "Nunca mais quero trabalhar com Tarantino"

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Consagrado compositor italiano diz que cineasta "coloca músicas nos filmes sem coerência" e critica "Django Livre": "Tem sangue demais"

Getty Images
O compositor italiano Ennio Morricone

O compositor italiano Ennio Morricone, autor de algumas das trilhas sonoras mais conhecidas da história do cinema, disse que não quer mais trabalhar com o diretor norte-americano Quentin Tarantino.

Músicas de Morricone integram a trilha sonora dos dois filmes da saga "Kill Bill", além de "Bastardos Inglórios" e "Django Livre".

Siga o iG Cultura no Twitter

"Não quero trabalhar com ele nunca mais, em nada", disse Morricone a jovens estudantes em uma universidade de Roma, segundo o The Hollywood Reporter.

"No ano passado ele disse que queria trabalhar comigo de novo desde 'Bastardos Inglórios', mas eu disse que não podia, porque ele não me deu tempo suficiente. Então ele simplesmente usou uma canção que eu tinha escrito antes", relatou, sobre "Django Livre".

O maestro, que fez as trilhas de clássicos como "Por um Punhado de Dólares" e "Três Homens em Conflito", disse que Tarantino "coloca as músicas nos filmes sem coerência". "Não dá para trabalhar com gente assim", disparou.

Morricone ainda criticou "Django Livre". "Não gostei", opinou. "Sangue demais." 

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas