Após ter recurso negado, diretor de "Duro de Matar" irá para a prisão

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

John McTiernan foi condenado por perjúrio num caso de escutas telefônicas

Reuters
O cineasta americano John McTiernan

O cineasta John McTiernan, diretor da série "Duro de Matar", terá de cumprir a sentença de um ano de prisão à qual foi condenado em 2010 após seu recurso ser negado na segunda-feira pela Suprema Corte dos Estados Unidos. 

Siga o iG Cultura no Twitter

McTiernan foi condenado por perjúrio e por mentir a autoridades num caso de escutas telefônicas que envolve um ex-detetive particular que trabalhou para vários astros de Hollywood. Ele também foi multado em US$ 100 mil (cerca de R$ 203,6 mil).

O cineasta foi acusado de ter contratado Anthony Pellicano para "grampear" as comunicações de um produtor com o qual McTiernan havia trabalhado em "Rollerball" (2002). Inicialmente, o diretor mentiu ao FBI sobre seu envolvimento com Pellicano, que já foi condenado a 15 anos de prisão por chantagem, conspiração e escuta clandestina.

Leia também: Cineasta John McTiernan é condenado a um ano de prisão

Como o recurso foi negado, McTiernan deverá ser preso nos próximos meses. No entanto, seu advogado disse que um juiz ainda deverá decidir sobre um pedido de redução ou eliminação da sentença com base no argumento de que não há provas de que Pellicano chegou a grampear o produtor.

Isso, porém, não deve impedir a prisão, já que McTiernan foi condenado por mentir ao FBI, e não pelas escutas ilegais.

Leia tudo sobre: john mctiernanduro de matar

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas