Contar o enredo foi a parte mais dura de "As Aventuras de Pi", diz Ang Lee

Diretor conta como foi a experiência de adaptar o livro de Yann Martel, que estreia com cópias convencionais e em 3D

iG São Paulo com Reuters |

Não foram os efeitos especiais, o tigre falso nem as cenas subaquáticas. A coisa mais difícil na realização de "As Aventuras de Pi" foi simplesmente contar a história, disse o diretor Ang Lee ("O Tigre e o Dragão", "O Segredo de Brokeback Mountain").

O premiado cineasta taiwanês, que está em Mumbai para divulgar seu novo projeto, baseado no romance homônimo de Yann Martel, disse que esse foi seu trabalho mais desafiador.

Divulgação
O diretor Ang Lee

"O livro tem um argumento filosófico sobre teologia e zoologia. Ele examina as ilusões. Para mim, isso é o mais difícil. Como você cria ilusão, especialmente com tanto dinheiro? Vou ser honesto com vocês: estou muito estressado há quatro anos."

Siga o iG Cultura no Twitter

O filme, uma fantasia sobre um menino perdido com um tigre em um barco no meio do oceano, foi bem recebido pela crítica. O Hollywood Reporter considerou-o "excepcionalmente bonito".

O elenco, majoritariamente indiano, inclui o protagonista Suraj Sharma, escolhido por Lee entre 3 mil adolescentes. Os cenários indianos da história também devem atrair o público desse país, cada vez mais apaixonado por Hollywood.

O filme tem lançamento na maior parte do mundo em 23 de novembro. No Brasil, a estreia está marcada para 21 dezembro.


    Leia tudo sobre: as aventuras de piang leecinema

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG