Morre Sylvia Kristel, a "Emmanuelle" do cinema

Aos 60 anos, protagonista do famoso filme erótico francês lutava contra câncer de esôfago

iG São Paulo com agências | - Atualizada às

A atriz holandesa Sylvia Kristel, que protagonizou o famoso filme erótico francês "Emmanuelle" na década de 1970 e atuou, na maturidade, em várias de suas sequências, morreu em Amsterdã em consequência de um câncer aos 60 anos de idade, informou seu site nesta quinta-feira (18).

A atriz, que lutou durante meses com um câncer de esôfago, morreu enquanto dormia. Em junho, ela sofreu um derrame e passou semanas no hospital. Kristel foi casada com o escritor Hugo Claus, com quem teve seu filho Arthur, e nos últimos anos foi "muito feliz" com Peter Brul, segundo o site. Ela será enterrada em cerimônia fechada.

Siga o iG Cultura no Twitter

A atriz ganhou fama internacional por seu papel em "Emmanuelle", dirigido em 1973 pelo francês Just Jaeckin. Inspirado no romance homônimo de Marayat Bibidh Andriane, sobre uma dona de casa entediada e seus muitos amantes, "Emmanuelle" rompeu, nos anos 1970, o tabu do sexo no cinema e inaugurou o erotismo como elemento central da trama.

EFE
Sylvia Kristel em julho de 2011: luta contra o câncer

Foi um grande sucesso. Filmado na Tailândia e nas Ilhas Seychelles com um orçamento de US$ 500 mil, o longa arrecadou US$ 100 milhões e, em alguns países, como França e Japão, permaneceu mais de uma década em cartaz.

Ricardo Calil:  Nunca houve uma mulher como Emmanuelle

Nas décadas seguintes, Kristel apareceu em várias sequências do filme, inclusive numa série de sequências feitas para a TV nos anos 1990, quando interpretava uma versão madura da personagem original.

Há pouco mais de um ano, em abril de 2011, Sylvia confessou que gostaria de ter um "pequeno papel" na versão em 3D que está sendo feita do filme, e disse que desejava continuar na carreira de produtora, após ter dirigido em 2008 o curta-metragem de animação "Topor et Moi".

Além do clássico, Sylvia Kristel atuou em cerca de 50 filmes internacionais, muitos de conteúdo erótico. Iniciou sua carreira como modelo juvenil, e em 1972 foi escolhida Miss TV Europe, o que a tornou conhecida nos bastidores do cinema.

"Ela foi conhecida por seu trabalho erótico, mas podia fazer muito mais do que isso", disse a sua agente, Marieke Verharen. "Ela é a atriz holandesa mais famosa que já existiu."

Abaixo, cinco cenas picantes de Sylvia Kristel

Outros papéis de destaque foram o de "Lady Chatterley" na adaptação para o cinema de 1991 do famoso romance de D. H. Lawrence, e o de Mata Hari, no filme homônimo sobre a vida da espiã. Trabalhou com diretores como Alain Robbe-Grillet, Claude Chabrol e Roger Vadim. Filmes posteriores incluem "The Nude Bomb" (1980) e "Private Lessons" (1981).  Reveja a filmografia da atriz

Na segunda metade dos anos 1970, Kristel teve problemas com dependência de drogas e álcool. Em 2003, descobriu um câncer de garganta de que chegou a se recuperar, e em seguida ainda participou de algumas produções. Nos últimos anos a atriz morou em Amsterdã, onde expunha ocasionalmente suas pinturas.

Antes de adoecer recentemente, ela se preparava para um papel em uma produção da peça "Garotas do Calendário", de Tim Firth. Sua última atuação no cinema foi em uma produção para a TV italiana, em 2010, sobre o trio de cantoras holandesas que eram populares no período entre guerras na Itália.


    Leia tudo sobre: Sylvia KristelEmmanuelle

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG