Barata e com boa infraestrutura, Romênia atrai produções de Hollywood

País europeu serviu de locação para a popular minissérie norte-americana 'Hatfields & McCoys', estrelada por Kevin Costner

EFE |

EFE

De fábrica prolífica de superproduções épicas nacionalistas durante o comunismo a um dos destinos preferidos de Hollywood para rodar filmes a preços mais baixos e com bons profissionais. Esse é o caminho percorrido no último meio século pela Romênia como local de filmagens.

A Romênia desbancou países como Hungria e República Tcheca como Meca das grandes filmagens internacionais, como explica Terry Gilliam, um dos membros do grupo de humor Monthy Python e consagrado diretor de cinema. "Após a queda do comunismo foi Praga, depois foi Budapeste; agora é Bucareste", disse Gilliam, que pôs seus olhos no país balcânico para rodar seus filmes.

Divulgação
Kevin Costner na minissérie 'Hatfields & McCoys'

Fizeram o mesmo nos últimos anos atores e diretores como Andy García, Sharon Stone, Jean-Claude Van Damme, Nicolas Cage, Mickey Rourke, John Voight, Kevin Costner e Francis Ford Coppola. Todos foram atraídos pelos baixos custos, pela qualidade dos técnicos e pela infraestrutura, assim como pela variedade de paisagens e áreas urbanas para gravar, explica à agência Efe Bogdan Moncea, da produtora Castel Film, a maior do país.

Os primeiros filmes estrangeiros foram gravados na Romênia no início dos anos 1990, "e desde então foram construídos novos sets de filmagem, se criou uma base material de equipamento e os profissionais ficaram cada vez mais preparados e instruídos no sistema americano de fazer filmes", conta Moncea.

Siga o iG Cultura no Twitter

O ponto de inflexão foi marcado em 2002 pela gravação de "Cold Mountain", a maior produção realizada na Romênia e que consolidou o prestígio do país como destino da indústria do cinema. Também contribuíram para esse prestígio o sucesso alcançado nos últimos anos pela nova geração de diretores romenos, liderada por Cristian Mungiu, vencedor da Palma de Ouro do Festival de Cannes por "Quatro meses, Três semanas e Dois dias".

Vale ser citada ainda a tradição de uma indústria nacional que durante o comunismo produzia cerca de 30 filmes por ano, entre eles as impressionantes obras de exaltação da história romena do mítico Sergiu Nicolaescu.

Uma das maiores vantagens de gravar na Romênia, de acordo com Moncea, é a diversidade natural e arquitetônica, que dá aos diretores a possibilidade de ambientar no país histórias muito diversas. As casas arcaicas, seus blocos uniformes de viés comunista e a cidade vibrante, moderna e cosmopolita são algumas das opções que oferece a capital romena, Bucareste.

A cerca de duas horas rumo ao norte estão as montanhas da Transilvânia e suas impecáveis cidadelas e castelos medievais. Ao leste fica a costa do Mar Negro, e ao sul, intermináveis planícies desérticas. No centro do país, na província de Arges, foi rodada há um ano a minissérie de televisão "Hatfields & McCoys". Com Kevin Costner como protagonista, a produção narra a rivalidade centenária de duas famílias durante a Guerra Civil dos Estados Unidos e registrou a maior audiência de um programa não esportivo na história da televisão americana .

Leia também: Minissérie com Kevin Costner bate recorde na TV americana

Costner ganhou o primeiro Emmy de sua carreira por sua atuação, e três técnicos romenos que participaram das filmagens foram nomeados na seção técnica da competição. Um dos operadores romenos foi escolhido o melhor mixador, e Costner louvou seus colaboradores da Romênia em seu discurso na premiação. "Tivemos que vir até a Romênia para rodar esta história americana. Quero agradecer à comunidade cinematográfica que nos ajudou em Bucareste", disse o ator em um gesto muito aplaudido pela imprensa romena.

    Leia tudo sobre: hatfields & mccoystelevisãocinema

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG