"Uma História de Amor e Fúria" segue "super-herói" brasileiro em animação

Na competição do Festival do Rio, longa dirigido e escrito por Luiz Bolognesi recupera passado do país e vai até o futuro, com vozes de Selton Mello e Camila Pitanga

Mariane Morisawa - especial para o iG |

É ousada a proposta de “Uma História de Amor e Fúria”, animação dirigida pelo roteirista Luiz Bolognesi, parceiro frequente da mulher, a também diretora Laís Bodanzky: uma animação com um super-herói brasileiro, que conta a história do país em quatro momentos (colonização, Balaiada, resistência ao regime militar e formação da Falange Vermelha e o futuro, quando falta água). O filme foi exibido em competição na Première Brasil do Festival do Rio , na noite da segunda-feira (8).

Siga o iG Cultura no Twitter

Selton Mello dubla o protagonista, que começa como um índio tupinambá, vira um negro líder da Balaiada, um branco da luta armada contra a ditadura e um homem desiludido, cansado de lutar, no Rio de Janeiro futurista de 2096. Em todas as suas vidas, encontra Janaína (voz de Camila Pitanga), a mulher que ama há 600 anos, guerreira como ele. Em algumas partes da trama, seu antagonista – seja o cacique tupinambá ou o namorado de Janaína na década de 1960 – ganha a voz de Rodrigo Santoro.

Bacana a ideia de recuperar esses episódios de resistência e repressão violenta em vários momentos da história brasileira. O filme é destinado a adolescentes e adultos, porque tem cenas fortes e de nudez, com jeito de histórias em quadrinhos.

Acesse o especial do Festival do Rio

A animação no mundo está num momento especial e, tecnicamente, nem sempre “Uma História de Amor e Fúria” fica à altura. Mas só o fato de tratar desse tema por meio de um desenho animado já é um bem-vindo ato de resistência.

iG Gente:  Camila Pitanga, Rodrigo Santoro e Selton Mello lançam filme no Festival do Rio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG