Personagens: quem é quem na Tropicália

Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa, Os Mutantes, Tom Zé: saiba o papel de cada um

iG São Paulo |

O documentário "Tropicália" , de Marcelo Machado , em cartaz neste final de semana, recupera um dos principais momentos da história da cultura brasileira. Apesar de, na verdade, ser um coletivo de artistas, entre eles Gilberto Gil, Caetano Veloso, Tom Zé e Gal Costa, o movimento, na prática, tinha contornos melhor definidos.

Leia também:  "Temos nossos próprios super-heróis", diz diretor de "Tropicália"

Pensando nisso, o iG elencou o papel de cada um dos principais participais do tropicalismo. Veja abaixo.

LÍDER – Caetano Veloso
O baiano magrelo e de cabelos encaracolados saiu de Santo Amaro da Purificação para se tornar um agitador cultural no Rio de Janeiro. Ao lado de Gil, criou a base teórica do movimento tropicalista e tomou para si a função de porta-voz. Na época, sucessos como "Alegria, Alegria" e a postura radical no palco fizeram dele um verdadeiro rock star.

BRAÇO-DIREITO – Gilberto Gil
Já integrante do cenário da MPB, Gilberto Gil voltou de uma viagem ao Nordeste pensando em misturar rock britânico com a Banda de Pífanos de Caruaru. Foi talvez o mais genial e prolífico dos tropicalistas, mas não tinha tanto apreço pelos flashes quanto Caetano.

PRODÍGIO – Os Mutantes
Praticamente adolescentes, Arnaldo Baptista, Sérgio Dias e Rita Lee, os Mutantes, faziam rock 'n' roll antenado com o mundo, de qualidade surpreendente. Como dizia o maestro e arranjador Rogério Duprat, era como descobrir "no meio dos botocudos alguém fazendo algo que podia ser melhor do que os Beatles".

MUSA – Gal Costa
Da turma dos baianos, Gal Costa estreou cantando bossa nova com Caetano no álbum "Domingo". Nas mãos dele e de Gil, virou uma intérprete explosiva, a la Janis Joplin.

ESQUECIDO – Tom Zé
Um ano depois da explosão do movimento, Tom Zé ganhou as paradas com a música "São Paulo, Meu Amor". Com versos e arranjos preciosos, não teve o mesmo reconhecimento comercial que seus pares, talvez por não ser tão tresloucado quanto é hoje.

COADJUVANTES
Nara Leão (cantora), Torquato Neto (letrista), José Carlos Capinam (letrista), Jorge Ben (cantor, compositor), Rogério Duprat (maestro, arranjador), Rogério Duarte (artista plástico)

Crítica:  Com imagens raras, "Tropicália" recupera momento essencial do Brasil

    Leia tudo sobre: tropicáliacaetano velosogilberto gilgal costatom zémutantes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG