Ben Affleck revive conflito entre Ocidente e Irã em "Argo"

Filme foi exibido no Festival de Cinema de Toronto, no Canadá, ao lado de 'Spring Breakers', com Selena Gomez

EFE |

EFE

Divulgação
Ben Affleck em 'Argo'

Em tempos em que o conflito entre o Irã e os países ocidentais está na capa de tantos jornais, Ben Affleck apresentou nesta sexta-feira (dia 7) no Festival Internacional de Cinema de Toronto "Argo", o relato do resgate de diplomatas americanos de Teerã em 1980.

Em seu segundo dia, a atenção do Festival Internacional de Cinema de Toronto (TIFF) esteve voltada para o filme de Affleck; para "Spring Breakers", um filme "superficial" com a menina-Disney Selena Gómez e James Franco; e para o britânico "Anna Karenina", com Keira Knightley.

Por coincidência, no mesmo dia da estreia mundial de "Argo" no TIFF, o governo canadense anunciava o fechamento de sua embaixada em Teerã, a embaixada diplomática que foi o centro onde se refugiaram os seis diplomatas americanos que fugiam dos estudantes islâmicos em 1979.

À época, quando os estudantes islâmicos assaltaram a embaixada dos Estados Unidos em Teerã, seis empregados da embaixada conseguiram escapar e se esconder na embaixada diplomática canadense.

Em "Argo", Affleck (que também dirige o filme) dá vida a um especialista da CIA encarregado de tirar do país os americanos com um incrível plano: simular que são parte de uma equipe canadense que viajou para o Irã para rodar um filme de ficção científica.

Divulgação
Vanessa Hudgens, Selena Gomez, Ashley Benson e Rachel Korine)em 'Spring Breakers'

O que não é ficção científica é o salto dado pela estrela da Disney Selena Gómez (alçada à fama entre o público adolescente com sua popular série de televisão "Os Feiticeiros de Waverly Place") com "Spring Breakers".

Aos 20 anos, Selena, atriz, cantora e estilista, quer agora ser ídolo das pré-adolescentes, meninas de cerca de 10 anos de idade, a um público mais maduro. Em "Spring Breakers", dirigida por Harmony Korine ("Vida Sem Destino", 1997, e "Trash Humpers", 2009), Selena interpreta uma mulher de 20 e poucos anos que junto com outras três universitárias (Ashley Benson, Vanessa Hudgens e Rachel Korine) passa na Flórida férias cheias de sexo, álcool, drogas e violência extrema.

Divulgação
James Franco em 'Spring Breakers'

Durante uma entrevista coletiva, Selena reconheceu que romper a imagem de "menina boa" da Disney não foi fácil. "Quando minha série terminou, me empolgou começar a fazer alguns filmes. Pensei que fazer um filme independente seria o melhor para mim", disse a atriz. "Quando li o roteiro (de 'Spring Breakers'), pensei que se iria fazer essa transição e assumir esse risco com alguém, queria que fosse Harmony, porque realmente acreditava em mim. De certa maneira, se arriscou ao me escalar para esse filme", contou. "Foi uma experiência realmente boa. É uma transição difícil mas estou me divertindo. Espero que as pessoas aceitem."

Harmony Korine, que ganhou o respeito de muitos em 1995 por sua participação no roteiro de "Kids" e que se caracteriza por sua visão provocadora, disse hoje que o filme não pretende denunciar essa faceta da juventude americana que aproveita as férias de primavera para curtir uma semana de bebidas e sexo.

"Não queria fazer um filme que fosse uma denúncia, queria que fosse mais como um sentimento, a ideia do que acontece em partes dos EUA quando um sai do centro da cidade. É a fraqueza", declarou. Para James Franco, que interpreta um irreconhecível pequeno criminoso, "a aparência neste filme é muito importante". "Estamos entrando em uma espécie de nova era em que as pessoas se relacionam com outros de forma muito superficial. E não é que superficial seja negativo. É um novo fenômeno ou a forma como vivemos agora", disse Franco.

Enquanto isso, em "Anna Karenina" Keira Knigtley ("Driblando o Destino", 2002 e "Um Método Perigoso", 2011) volta a trabalhar com o cineasta Joe Wrigth, que a dirigiu em "Desejo e Reparação" (2007), para criar uma nova adaptação do clássico romance de Leon Tolstoi com Jude Law e Aaron Taylor-Johnson.

O festival teve ainda a estreia mundial de "Días de Pesca", do argentino Carlos Sorín ("Bombón: el perro", 2004). O longa-metragem, protagonizado por Alejandro Awada e Victoria Almeida, relata a viagem de Marco Tucci, um alcoólico em recuperação que vai ao litoral da Patagônia para voltar a se encontrar com sua filha, Ana. O TIFF também apresentou o filme paraguaio "7 Cajas", um longa policial dirigido por Juan Carlos Maneglia e Tana Schémbori.

    Leia tudo sobre: ben affleckargocinema

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG