James Dean ganha mostra com filmes e fotos no Rio

Exposição terá 12 documentários que esmiúçam a vida do ator, que morreu aos 24 anos

Agência Estado |

Agência Estado

"Sonhe como se fosse viver para sempre, viva como se fosse morrer hoje." A frase mais famosa de James Dean (1931-1955) soa talhada para quem iria viver 24 anos a mil.

O ator morreu num acidente de carro no despontar para o sucesso e, passados 57 anos, sua bela figura ainda está por aí, nas cenas dos seus poucos filmes, em editoriais de moda, em programas de TV.

Siga o iG Cultura no Twitter

De terça (dia 4) até 23 de setembro, o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), no Rio, exibe "Eternamente Jovem - Retrospectiva James Dean", com imagens nunca vistas pelo público brasileiro.

Estão programados - além dos filmes com ele que se tornaram clássicos, "Vidas Amargas" (1955), "Juventude Transviada" (1955) e "Assim Caminha a Humanidade" (1956) - 13 trabalhos que ele fez para a TV entre 1951 e 1955 e 12 documentários que esmiúçam aspectos de sua vida e trazem curiosidades do tipo que os fãs adoram. São dos anos 1950, 1970, 1980, 1990 e 2000, prova de que o interesse por sua personalidade nunca arrefeceu.

Leia também: 80 anos do nascimento de James Dean: um mito que burla a velhice

"James Dean at High Speed" (1997) enfoca a atração por carros velozes e motocicletas, que vinha da infância e que o levaria à morte. Tem cenas dele em corridas, depoimentos de quem o viu em alta velocidade em competições, imagens da loja em que um Jimmy de 15 anos comprou sua primeira moto.

"Great Romances of the 20th Century: James Dean and Pier Angeli" (1997) trata do romance com a linda atriz italiana cujos olhos verdes enfeitiçaram Dean em 1953. O namoro, iniciado durante as filmagens de "O Cálice Sagrado" e que durou apenas três meses, terminou porque a mãe dela desaprovava o comportamento do bad boy.

E "James Dean: Born Cool" (2001) fala da transformação do menino de cidade pequena, Marion (Indiana), em astro de Hollywood, ícone de uma geração, do jovem incompreendido. Sua trajetória é contada por amigos e parentes, que mostram fotos raras e gravações caseiras.

"São filmes que pouca gente viu, depoimentos de quem o conheceu de verdade", diz o jornalista Mario Abbade, curador da mostra, que há 20 anos faz pesquisas para escrever uma biografia sobre o ator. "Existem livros e mais livros de pessoas falando coisas que não são verdades. Já fizeram uma pesquisa que mostra que se tudo o que dizem fosse verdade, ele teria que ter vivido mais uns 20 anos."

Além de conseguir as autorizações para exibir o material por aqui, Abbade, que durante sua pesquisa seguiu os passos de Dean pelos Estados Unidos (em Estados como Indiana, Califórnia, Nova York), chegou à cópia de sua certidão de óbito, que estará exposta no CCBB com 30 fotos e objetos com a marca Dean: relógios, perfumes, canetas, isqueiros, selos, até miniaturas do Porsche Spyder, no qual ele sofreu o acidente fatal em 30 de setembro de 1955, em Salinas, na Califórnia.

ETERNAMENTE JOVEM - RETROSPECTIVA JAMES DEAN
CCBB-RJ (r. Primeiro de Março, 66, Rio; tel. 21- 3808-2020)
De 4/9 a 23/9
Ingressos: R$ 6

    Leia tudo sobre: NACIONALVARIEDADE

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG